Thiago Silva diz que seleção 'está no caminho certo'

Zagueiro aposta alto no Brasil contra os franceses

ROBSON MORELLI, Agência Estado

08 de junho de 2013 | 15h05

PORTO ALEGRE - O capitão Thiago Silva aposta alto na seleção brasileira contra a França neste domingo. A apresentação do time no empate com a Inglaterra e os treinos táticos da semana em Goiânia deram ao zagueiro a certeza de que o Brasil avançou em sua condição de formar uma equipe para a Copa das Confederações, que começa dia 15.

Thiago vê evolução desde que Felipão assumiu o grupo e deu a ele regras e esquemas táticos claros. A definição dos 11 titulares também contribuiu para isso. E enfrentar os franceses nessa condição deixa o capitão com a certeza de que a tão esperada vitória diante de um europeu chegará no momento certo, no último amistoso antes de o Brasil estrear na competição.

Thiago também sabe da responsabilidade desse time principalmente na Copa do Mundo. "A derrota para o Uruguai em 1950 nos dá muita responsabilidade em disputar outro Mundial em casa. Responsabilidade e orgulho. Por isso temos de evoluir nesse trabalho de formação do time e confesso que fiquei muito feliz depois do jogo contra os ingleses no Maracanã. Não tenho dúvidas de que estamos no caminho certo", disse.

Se o Brasil for bem na Copa das Confederações, o jogador do Paris Saint-Germain será o encarregado de levantar a taça, destino entregue para bem poucos do futebol. De modo que ele se coloca como um dos jogadores mais envolvidos com a seleção. "Penso na Copa o tempo todo. Estamos num momento único e trabalhando para fazer história. O bom é que vejo evolução na equipe e se a gente ganhar da França, começaremos a resgatar todo o prestígio que perdemos na Europa nos últimos anos." Thiago chegou a discutir com o meia Joey Barton, do Olympique, por ele ter menosprezado a momento da seleção brasileira.

O capitão do Brasil também aponta a necessidade de saber defender e compactar as linhas da equipe como as maiores preocupações de Felipão nesse momento, o que não quer dizer que a seleção passará a jogar como equipe pequena. Não é isso. Para Thiago Silva, o Brasil não pode sofrer nove gols em seis partidas, as últimas desde que o treinador assumiu o comando.

"São muitos gols e isso nos preocupa sim. Se disser o contrário, estarei mentindo. Então, hoje, a nossa primeira preocupação é nos defender. O Felipão nos fala que se a gente conseguir equiparar a condição tática e vontade de jogar dos adversários, vamos resolver bem os resultados porque temos jogadores de muita qualidade no meio e na frente."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.