Thiago tenta esquecer ouros para lutar por mais medalhas

Brasileiros vivem expectativa de ver nadador quebrar mais recordes no Pan-Americano

Camila Moreira, REUTERS

17 de julho de 2007 | 15h18

Thiago Pereira mal saiu dapiscina com duas medalhas de ouro no pescoço na terça-feira ejá quer deixar de lado essas conquistas. Com a chance detornar-se o maior medalhista do Brasil em uma única edição doPan, o nadador terá pouco tempo de comemorar as conquistas e osnovos recordes. Em sua primeira prova ele completou os 400m medley em4min11s14, batendo os recordes pan-americano (4min15s52) esul-americano (4min11s91). Em seguida, ele abriu o revezamento4x200m livre, em que ao lado de Rodrigo Castro, Lucas Salatta eNicolas Oliveira também garantiu o ouro e quebrou os recordespan-americano e sul-americano. "Não poderia ter sido melhor a estréia no Pan, dois ouroscom recorde pan-americano. Estou até mais confiante, porque noprimeiro dia sempre ficamos na dúvida se estamos bem, e agoraconfirmei que estou", disse ele. O único tempo que ele teve para descansar foi enquantoesperava a cerimônia de entrega de medalhas dessa prova, quandoaproveitou para se sentar devido à demora. Pouco mais de umahora depois da primeira competição ele já estava pulando napiscina pela terceira vez neste Pan -- na segunda-feira eledisputou as preliminares dos 400m medley. Como ele mesmodestacou, "será uma semana longa". Thiago ainda tem previsto disputar os 200m medley, os 100me 200m costas, os 200m peito, os 4x100m medley e aseliminatórias do 4x100m livre. No Pan do Rio, o nadador tenta bater o recorde de medalhasde um atleta do Brasil numa única edição dos Jogos. A marcapertence ao também nadador Djan Madruga, com seis pódios. "Terei várias provas bem difíceis, e agora é manter acabeça no lugar e esquecer essas duas provas, já passaram. Apróxima prova é sempre a que está na minha cabeça", disse ele,evitando falar sobre suas chances. "Qualquer um que estiver entre os oito nas próximas provastem condições. No final, se forem 7, 6, 5 medalhas, com certezavou estar feliz porque saberei que dei o meu melhor." Thiago, entretanto, não hesitou em dividir um pouco daresponsabilidade, oportunidade que os nadadores têm somentequando disputam provas de revezamento. "Gosto muito de nadar o revezamento e com certeza é maisdivertido. A gente divide a pressão entre os quatro, é nessemomento que podemos dividir", disse ele, que já tem cincoíndices para disputar a Olimpíada de Pequim.

Tudo o que sabemos sobre:
ESPORTESPANNATACAOTHIAGO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.