Christophe Ena / AP
Christophe Ena / AP

Thomas termina etapa em 3ª e praticamente garante título da Volta da França

Competição tem apenas mais uma etapa, que será disputada neste domingo, 29

Estadão Conteúdo

28 de julho de 2018 | 14h20

O britânico Geraint Thomas praticamente garantiu neste sábado o título da Volta da França, a competição mais tradicional do ciclismo. Neste sábado, no contra-relógio, ele ficou com a terceira melhor marca e manteve a camiseta amarela, dada ao ciclista que possui menos tempo no somatório geral das etapas.

A disputa aconteceu em um percurso de 31 quilômetros entre as cidades de Saint-Pée-Sur-Nivelle e Espelette. O mais rápido foi o holandês Tom Dumoulin, que completou a prova em 40min52, um segundo à frente do britânico Chris Froome, da equipe Sky, a mesma de Thomas, que terminou em terceiro, 14 segundos atrás do líder.

Com isso, ele manteve uma vantagem no geral de 1min51 sobre Dumoulin, o segundo colocado faltando apenas uma etapa para o término da atual edição. No entanto, é por tradição na Volta da França que a última etapa seja apenas festiva, com todos pedalando juntos do início ao fim.

Os ciclistas fecharão a disputa neste domingo, no percurso plano de 116 quilômetros entre Houilles e Paris. A chegada acontecerá na tradicional Champs-Elysées. Geraint Thomas só não ficará com a taça de campeão caso aconteça algo no caminho e ele não consiga cruzar a linha de chegada. Se não houver sobressaltos, será a sexta vez nos últimos sete anos que tocará o hino britânico na capital francesa.

Chris Froome venceu quatro vezes (2017, 2016, 2015 e 2013). Bradley Wiggins faturou em 2012. O único a quebrar a hegemonia da Grã-Bretanha nesse período foi o italiano Vincenzo Nibali, que ficou com a taça em 2014.

Thomas tentou explicar o sentimento de praticamente vencer a edição deste ano. "Ainda não estou acreditando. Estou ficando louco. Não sei nem o que dizer. É simplesmente assustador. Nunca pensei nisso e, de repente,... Ganhei a Volta", afirmou Thomas.

Na prova deste sábado, ele foi orientado a não arriscar tanto. "Me sentia bem, forte. Acho que poderia ter conseguido chegar em primeiro. Mas o diretor achou melhor não arriscar tanto nas curvas. Por isso pediu que eu relaxasse um pouco. Foi isso que fiz. Não tenho palavras. É incrível", comemorou.

Emocionado logo após a prova, Thomas comparou à conquista ao dia que se casou. "Ganhar a competição mais importante que acontece durante três semanas no ciclismo é uma loucura. A última vez que havia chorado foi quando me casei. Não sei que o aconteceu comigo agora. É muita emoção", afirmou.

Entre os primeiros colocados na classificação geral, a principal novidade foi que Chris Froome, com o segundo lugar no contra-relógio, roubou a terceira colocação do esloveno Primoz Roglic. O tetracampeão da Volta da França também comentou sobre a sensação de voltar ao pódio da competição.

"Será um sonho, algo incrível depois de uma disputa tão difícil ontem (sexta-feira)", disse. "Pensei que não seria possível. Estou muito contente. Agora só falta que Thomas siga na bicicleta e chegue em Paris com a camiseta amarela", complementou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.