Thorpe planeja sete medalhas no Japão

Três medalhas de ouro e dois recordes mundiais em quatro dias de competição. O excepcional desempenho é do jovem australiano Ian Thorpe, o ?Thorpedo?, de 18 anos, no Mundial de Fukuoka, no Japão. Thorpe, que já havia estabelecido uma nova marca para os 400 m, livre, quebrou, nesta terça-feira, o recorde mundial dos 800 metros, livre, com 7min39s16. O tempo é 2s43 mais baixo que a marca anterior, dele mesmo (7min41s59). O torpedo australiano, que pretende deixar Fukuoka com sete medalhas de ouro, bateu seu 11º recorde mundial em piscina olímpica (50 metros) desde que iniciou a carreira internacional, em 1998. O compatriota Grant Hackett também nadou a distância abaixo do recorde anterior (7min40s34). O norte-americano Michael Phelps, de 16 anos, também teve seu momento de glória ao superar a própria marca mundial, de 1min59s92, nos 200 metros, borboleta (1min54s58). Em dia de recordes a Federação Internacional de Natação confirmou que não fará testes antidoping para a detecção do hormônio de crescimento eritropoietina (EPO). Thorpe ficou decepcionado e disse que os exames ajudam a mostrar transparência nos resultados. Os resultados do Brasil continuam ruins. Nas provas realizadas na segunda-feira, Alexandre Massura foi 13º nos 50 m, costas (26s12). Flávia Delalori foi 41ª nos 100 m, livre (58s65), e Rodrigo Castro, o 22.º nos 200 m, livre (1min51s10). Gustavo Borges desistiu de nadar os 200 m, livre, para dedicar-se aos 100 m - as eliminatórias serão quinta-feira, às 21 horas de Brasília. A saltadora Juliana Veloso estreou bem na plataforma - é uma das 18 semifinalistas, entre 31 atletas. No pólo aquático masculino, o Brasil venceu o Japão por 13 a 6, mas já na disputa do "torneio de consolação", uma vez que ficou fora do grupo que luta por medalhas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.