Time brasileiro de rúgbi aposta em ex-jogador como técnico e mira adquirir bagagem internacional

Time brasileiro de rúgbi aposta em ex-jogador como técnico e mira adquirir bagagem internacional

Com renovação no elenco e na comissão técnica, Cobras Brasil XV se prepara para a disputa de sua segunda edição da Superliga Americana de Rúgbi

Murillo César Alves, especial para o Estadão

24 de fevereiro de 2022 | 15h00

Ex-atleta e head coach das seleções da CBRu desde 2019, Fernando Portugal terá pela frente o desafio de fortalecer a base do rúgbi brasileiro, que disputará as eliminatórias para a Copa do Mundo de Rugby em 2027. No comando do Cobras Brasil XV, franquia gerenciada e administrada pela Confederação Brasileira de Rúgbi (CBRu), ele disputará entre os dias 13 de março e 28 de maio sua segunda edição da Superliga Americana de Rugby (SLAR).

Na última edição, o Cobras terminou em quinto lugar, com três vitórias em dez jogos. Para esse ano, a equipe vem renovada, com média de idade de 24 anos e com jovens atletas estreantes na competição. A comissão técnica também atravessa um processo de reformulação, mas ainda se mantém sob o comando de Portugal. 

“O ano passado nos mostrou a necessidade em qualificar o estafe brasileiro, o que fazer e o que não fazer. Quando observamos nossos rivais, vemos quatro, cinco treinadores, que exercem diversas funções dentro do elenco. É certo que precisamos de mais gente, mas é necessário encontrar as pessoas certas, os treinadores certos, mas com certeza ainda iremos encontrar", pontuou Portugal.

Dentro de campo, Arthur Bergo, de 28 anos, é a liderança desse jovem elenco. Dentre os 33 atletas convocados, 31 são brasileiros. O jogador, que atua na terceira linha, é um dos remanescentes da última edição da SLAR, foi definido como o capitão do elenco do Cobras para a disputa do torneio. Pensando no futuro, Bergo enxerga com bons olhos a participação brasileira, "que é um sinal do quanto a região está crescendo no rúgbi profissional".

"O importante para esse momento é trabalhar com o potencial dos atletas. Mesmo com uma equipe nova e sem muitos jogos, é notável o potencial desse elenco. Eu brinco com os meus companheiros que o processo de renovação já acabou, quem está aqui é porque merece, e estamos prontos para construirmos o nosso legado, até as eliminatórias para a Copa do Mundo", afirmou o jogador em entrevista.

Estreante nessa competição, Robson Morais, fullback, é uma das promessas desse elenco. Dentro da competição, o atleta conta que o ideal, principalmente para os jovens que estão chegando junto com ele ao elenco, é "desempenhar o melhor possível em campo e nas estatísticas, buscando mesclar defesa e ataque da melhor forma possível". 

O destaque para a construção de uma base é a marca dessa equipe do Cobras. Portugal destacou a oportunidade de desenvolver esses novos atletas que chegam para a disputa de seu primeiro torneio. Também elogiou a força de seus jogadores, que "estão no nível daqueles do exterior". Além disso, o técnico também pontuou que realizar os treinamentos com brasileiros pode vir a ser um diferencial para esse elenco; na comissão técnica, apenas o fisioterapeuta, Mario Rivera, é argentino.

Em comparação com os adversários, Portugal salientou que essa edição da SLAR é composta por equipes que também passam por renovações e reforços em seus elencos. Por conta disso, o técnico brasileiro faz ressalvas: é necessário pensar um jogo de cada vez, mas o treinador tem confiança de que os Cobras terão capacidade para alcançar uma melhor posição final, quando comparada à última edição da Superliga.

Além dos Cobras, outras cinco equipes, uma de cada país, completam a disputa da SLAR. São elas: o Peñarol Rugby (Uruguai), Selknam (Chile), Olímpia Lions (Paraguai), Cafeteros Pro (Colômbia) e o atual campeão, Jaguares XV (Argentina). "É a oportunidade de oferecer aos jogadores a possibilidade de jogar rúgbi próximo a seus familiares e em melhores condições para suas equipes", comentou Sebastián Piñeyrúa, presidente da Sudámerica Rugby.

A Superliga terá transmissão pela plataforma de streaming STAR+, tanto para o Brasil quanto para os demais países sul-americanos. A estreia da equipe brasileira será no dia 13 de março, contra o Peñarol, em Valparaíso, Chile.

 

Tudo o que sabemos sobre:
rúgbi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.