Time de bronze é base para as eliminatórias

A seleção olímpica brasileira não foi além do bronze nos Jogos de Pequim, mas alguns jogadores souberam aproveitar a chance para mostrar que merecem uma oportunidade na seleção principal. Com exceção de Ronaldinho Gaúcho, todos os outros estavam em teste. A lista dos convocados contra Chile e Bolívia pelas eliminatórias da Copa de 2010, divulgada anteontem por Dunga, mostra quem passou no teste olímpico.Do grupo que veio à China, o goleiro Renan, o lateral-direito Rafinha, o zagueiro Alex Silva, os volantes Lucas e Anderson, o meia Diego e os atacantes Rafael Sobis e Jô estão no time. Oficialmente, Dunga declara que "todos" os 18 olímpicos têm condições de atuar na seleção principal. Mas, para ele, ser um bom jogador é apenas mais um dos critérios que leva em conta nas convocações."(Todos) Mostraram espírito de seleção, com conduta e união. E não desanimaram nem nos momentos mais difíceis." Isso talvez explique por que convocou Anderson, que a rigor não disputou boa Olimpíada - ao volante, porém, jamais faltou dedicação. Rafael Sobis e Jô, por exemplo, souberam esperar a oportunidade pacientemente, sem chiar. Isso conta pontos com Dunga. Rafinha foi mal, mas sua atitude de enfrentar o clube, o Schalke alemão, para servir à seleção lhe valeu muito mais do que seu sofrível futebol.Esse seria, também, o caso de Diego. Mas o meia do Werder Bremen - que já vinha sendo chamado regularmente para a seleção principal - ganhou prestígio em campo, disputando boas partidas. O mesmo ocorreu com o goleiro Renan e com o volante Lucas. Quanto a Alex Silva, Dunga gosta de seu estilo de jogar.Alexandre Pato foi o maior perdedor. Pouco produziu e ainda retrucou com um gesto uma cobrança do treinador após perder um gol contrra a China. Acabou barrado. ARGENTINA BICAMPEÃA medalha de ouro do futebol da Olimpíada de Pequim foi parar no peito da melhor seleção, que é também a mais experiente e preparada.Com o 1 a 0 sobre a Nigéria, ontem, no Ninho de Pássaros, a Argentina tornou-se bicampeã olímpica. De quebra, vingou-se da derrota na decisão de Atlanta-96, quando os africanos levaram a melhor e ficaram com o ouro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.