Times paulistas: histórias semelhantes

Santos, Jaguariúna e Botucatu apostam nas parcerias público-privadas

O Estadao de S.Paulo

28 de outubro de 2007 | 00h00

Santos, Jaguariunense e Botucatu serão os representantes de São Paulo na Copa do Brasil e coincidentemente têm histórias parecidas. As três equipes são mantidas com apoio de prefeituras e contam com o apoio parceiros da iniciativa privada. A qualidade de vida e a oportunidade de estudar e jogar o ano todo são os grandes atrativos.''''A prefeitura entra com o dinheiro e cada um ajuda um pouco, com prestação de serviço: a gente tem convênio com o clube, com uma empresa de ônibus - que transporta as jogadoras -, de um supermercado - que fornece a alimentação -, de fisioterapeutas e de uma academia. Isso sem falar do acordo que temos com as Faculdades Integradas, que oferecem bolsas para dez atletas que estudam educação física e trabalham como monitoras na rede municipal'''', conta o secretário de Esportes de Botucatu, Nivaldo Costa.Em Santos, a estrutura é semelhante. ''''Temos uma parceria com a Fundação Pró Esporte (Fupes), que cobre as despesas'''', explica o técnico Cleyton Lima. ''''O Santos nos oferece toda a retaguarda do CT de treinamento, da academia e do departamento médico.''''No caso de Jaguariúna, a parceria envolve uma empresa de telefonia da cidade, uma faculdade e a prefeitura. O projeto, chamado de Gol Menina, começou em fevereiro, mas deu tão certo que em sua primeira participação o time chegou à final do estadual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.