Tira-teima vai definir vaga olímpica na classe 470

Fernanda Oliveira e Isabel Swan fizeram história nos Jogos Olímpicos de Pequim ao se tornarem as primeiras brasileiras a conquistar medalha na vela, um bronze na classe 470 Feminina. Com novas parcerias, somente uma delas poderá estar nos Jogos de Londres. Nesta quinta-feira, a disputa foi oficialmente empatada, uma vez que Fernanda e Ana Barbachan conquistaram com antecedência o título da Semana Brasileira de Vela, em Búzios (RJ).

AE, Agência Estado

09 de fevereiro de 2012 | 20h51

Isabel Swan e Martine Grael (filha de Lars) conquistaram a vaga olímpica para o Brasil durante o Mundial de Vela de Perth, em dezembro passado, terminando a competição no oitavo lugar. Como ficaram à frente de Fernanda Oliveira e Ana Barbachan (terminaram em 26.º), marcaram um ponto na seletiva olímpica brasileira.

O segundo ponto estava em jogo em Búzios. Como só as duas duplas se inscreveram para a Semana, a competição se tornou uma disputa direta. Fernanda e Ana, porém, venceram todas as oito regatas disputadas até aqui, inclusive as três desta quinta-feira. Depois da sexta destas vitórias o título e o ponto já estavam assegurados.

A decisão da dupla olímpica do Brasil na 470 Feminina, desta forma, vai ficar para o Troféu Princesa Sofia, em Palma de Maiorca (Espanha), de 31 a março a 7 de abril. "Tiramos um peso das costas. Foi só uma etapa e vamos seguir treinando forte para Palma de Maiorca. Já corremos na raia espanhola e a estratégia será diferente, sem a necessidade de um match race", revela Ana Barbachan.

Outra classe que pode precisar de desempate é a Laser. Bruno Fontes, que garantiu a vaga olímpica para o Brasil, viu João Hackerottv vencer a primeira regata do dia em Búzios, mas respondeu com triunfo nas duas regatas seguintes. Os dois terminaram a quinta-feira empatados em 13 pontos perdidos. Outras três etapas estão programadas.

Nas demais classes já classificadas, tudo dentro do previsto. Além de Robert Scheidt e Bruno Prada, na Star, também Jorge Zarif (na Finn) e Bimba (na RS:X Masculina) têm oito vitórias em oito regatas e só não carimbam a vaga olímpica nominal em caso de improváveis combinações nas três últimas regatas. Patrícia Freitas (sete vitórias na RS:X Feminina) e Adriana Kostiw (cinco triunfos na Laser Radial) também estão muito perto da classificação.

Já na 470 Masculina Fábio Pillar e Gustavo Thiesen também têm oito vitórias em oito regatas. Mas a classe ainda não está assegurada em Londres. Com o provável título em Búzios, eles terão apoio financeiro da Confederação Brasileira de Vela e Motor para participar do Mundial de Barcelona, onde as últimas vagas olímpicas estarão em jogo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.