Tiro: eleição vai parar na Justiça

Depois da Confederação Brasileira de Tênis (CBT), a Confederação Brasileira de Tiro Esportivo (CBTE) promete ter seu comando definido na Justiça. A assembléia para a eleição para o novo presidente da CBTE foi confusa. A situação, comandada por Durval Ferreira Guimarães, diz que o pleito foi adiado para 11 de abril. A oposição diz que a eleição aconteceu e Frederico José Pereira da Costa é o novo presidente. Segundo Costa a chapa da oposição compareceu à reunião munida de medida cautelar que garantia direito a voto das federações, uma vez que a CBTE não informava quem tinha condições de voto. Com isso, a situação decidiu adiar a eleição para 11 de abril. A oposição alega que, com 16 dos 19 dirigentes de federações presentes, a eleição foi realizada e Costa é o novo presidente da CBTE, apesar da sessão prejudicada pela presença de seguranças armados e com sistemas de luz e ar condicionado desligados. "Não nos deixaram tomar posse e nos trataram como se quiséssemos fazer algum mal à sociedade", reclamou Costa, lembrando que o mandato de vários dirigentes termina dia 30. "A idéia foi evitar a bagunça e gente sem condiçoes de votar participasse da eleição. Entendemos que o estatuto da Confederação foi cumprido", argumentou o vice-presidente da situação, Carlos Occhipinti.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.