Tirone cobra a vaga na Libertadores

Protestos, derrotas, críticas e muita confusão. Os últimos dias do Palmeiras têm sido bastante conturbados e, para tentar melhorar um pouco o clima no clube, o presidente Arnaldo Tirone foi ao treino da manhã de ontem para passar força e também cobrar melhores resultados.

Daniel Akstein Batista, O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2011 | 00h00

Acompanhado do vice Roberto Frizzo, Tirone conversou por cerca de 30 minutos apenas com o elenco - a comissão técnica ficou fora do encontro. "É a segunda conversa que tivemos, a primeira foi quando fui eleito", contou. "Não foi nada ríspido. Transmitimos a nossa preocupação e também o nosso apoio. Queremos deixar todos tranquilos e falei que confio no grupo."

A derrota para o Internacional, domingo, por 3 a 0, foi o último capítulo de uma sequência de tropeços - o Palmeiras venceu apenas uma vez nos últimos 10 jogos do Brasileiro.

"Queremos a Libertadores, não a Sul-Americana. E temos time para isso", confia Tirone. "A Sul-Americana é ruim para um time grande como o Palmeiras", completou Marcos Assunção. "O título ainda dá, mas precisamos começar a vencer logo. Se o que estamos fazendo não é o suficiente temos de trabalhar mais."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.