JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Tite busca moldar um batedor de faltas no Corinthians

Às vésperas de clássico contra o Palmeiras, técnico quer driblar ausência de Chicão

Vítor Marques, O Estado de S.Paulo

16 de fevereiro de 2013 | 02h05

SÃO PAULO - O Corinthians disputa seu primeiro clássico do ano com sistema tático e formações definidos, repetindo o time campeão mundial no Japão. Agora Tite está em busca do ajuste fino, de uma nova jogada que possa surpreender o Palmeiras. E uma delas foi ensaiada ontem: a bola parada.

"Minha ideia é aprimorar esses lances de bola parada, que podem definir, direta ou indiretamente o jogo, com rebotes ou bola lateral", disse o treinador.

Após o treino, um rachão, Tite chamou quatro jogadores para treinar cobranças de faltas: Paulinho, Jorge Henrique, Fábio Santos e Douglas, que é reserva. Depois, Alexandre Pato, outro que começa como opção no banco, juntou-se ao grupo.

Todos eles treinaram cobranças de falta direta, bem próxima à área. Fábio Santos foi um dos melhores no fundamento.

O motivo de todos eles terem treinado faltas é porque o time está "órfão" de uma batedor - Chicão, então cobrador oficial, está machucado.

Contra o São Caetano, por exemplo, Alexandre Pato chamou a responsabilidade e quase marcou um gol de falta quando o time perdia por 2 a 1 - o jogo terminou 2 a 2.

O último bom cobrador de bola parada do time foi Alex, que deixou o Corinthians após a conquista da Libertadores ano passado. E curiosamente foi dele o último gol de falta marcado pela equipe, há mais de um ano - contra o Internacional, no Beira-Rio, pelo Brasileiro de 2011.

E quando Tite fala em "rebotes" ou "bola lateral" é um indicativo que a ordem é aproveitar a boa fase do atacante Paolo Guerrero. Seus três gols no Campeonato Paulista foram marcados de cabeça, mas em jogadas com bola rolando.

Tite confirmou em entrevista que mantém o trio de atacantes com Guerrero, Emerson Sheik e Jorge Henrique. E disse que considera Alexandre Pato uma peça importante, mas hoje é reserva. "Tenho três peças ofensivas com muita qualidade, o Pato, o Romarinho, o Renato Augusto. Esses jogadores que estão no banco podem decidir a partida, em 20, 30 minutos, eles têm de estar preparados."

O técnico, que também confirmou a volta de Cássio ao gol, não acredita no favoritismo de sua equipe no clássico e pede que os jogadores não menosprezem o rival. "Corinthians x Palmeiras é sempre um marco muito forte, independentemente se é campeão mundial, de posição na tabela, é um grande jogo."

O Pacaembu deverá ter lotação máxima. Até a tarde de ontem já haviam sido vendidos 29 mil ingressos para o clássico.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansTiteCampeonato Paulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.