Arquivo/AE
Arquivo/AE

Tite é liberado pelos árabes. Agora, só falta assinar com o Corinthians

Presidente Andrés Sanchez afirma ter recebido mensagem do técnico e deve apresentá-lo nesta segunda

, O Estado de S.Paulo

18 de outubro de 2010 | 00h00

Tite é o novo técnico do Corinthians. O anúncio foi feito pelo presidente corintiano Andrés Sanchez, ontem à noite, logo após o empate sem gols com o Guarani, ainda no gramado do Brinco de Ouro da Princesa. "Recebi uma mensagem dele (Tite) no intervalo, dizendo que havia conseguido sua liberação do clube árabe." Tite, que estava desde agosto do ano passado no Al Wahda, dos Emirados Árabes, vai abrir mão de disputar o Mundial de Clubes, em dezembro, em Dubai. O treinador deverá ser apresentado amanhã, no Parque São Jorge, depois de assinar contrato.

Veja também:

linkChicão prevê clássico complicado para o Corinthians

linkMesmo com Ronaldo, Corinthians não empolga e fica no 0 a 0 com o Guarani

linkRonaldo avalia seu retorno como 'bom'

linkRoberto Carlos critica cobranças e alfineta diretoria

Brasileirão Série A - tabela Classificação / lista Tabela

Tite vai ter oito rodadas para buscar o quinto título brasileiro para o Corinthians ou pelo menos garantir a vaga na Taça Libertadores, o que só será obtido se o time ficar entre os três primeiros colocados. Na sua estreia, domingo, um teste de fogo. O clássico contra o rival Palmeiras, no Pacaembu. Para esse jogo, Tite só não deverá contar com Jorge Henrique, que volta aos gramados apenas em 2011.

Reforços. Fábio Carille, que dirigiu interinamente o Corinthians contra Vasco e Guarani, disse ontem que Alessandro, Jucilei, Bruno César e Dentinho poderão estar à disposição do novo treinador na partida que poderá definir as possibilidades do time no campeonato.

Tite, gaúcho de 49 anos, dirigiu o Corinthians em 2004, quando terminou o Campeonato Brasileiro na quinta colocação. Em 51 jogos pelo Corinthians, obteve 24 vitórias, 12 empates e 15 derrotas, o que equivale a 56,8% de aproveitamento.

Tite já foi campeão gaúcho três vezes. Em 2000, pelo Caxias; 2001, pelo Grêmio; e 2009 pelo Inter. Também foi uma vez campeão da Copa do Brasil (2001) pelo Grêmio e uma vez da Copa Sul-Americana, pelo Inter.

O técnico vai substituir Adilson Batista, que não suportou os problemas internos e a pressão da torcida na véspera da derrota para o Atlético Goianiense por 4 a 3, no Estádio do Pacaembu, no domingo retrasado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.