Daniel Teixeira/AE
Daniel Teixeira/AE

Tite elogia 'grande clássico', mas condena o árbitro

Nervoso, treinador do Corinthians abandona entrevista coletiva

FÁBIO HECICO, O Estado de S.Paulo

20 de agosto de 2012 | 03h04

SANTOS- Apito final e Tite corre para o campo para evitar qualquer confusão entre os jogadores. O técnico foi acalmar seus atletas, mas, assim como eles, estava bastante irritado com a arbitragem polêmica de Flávio Luiz Guerra e de seus auxiliares, Emerson Augusto de Carvalho e Marcelo Carvalho Van Gasse. O Corinthians alega impedimento dos jogadores do Santos nos dois primeiros gols de André, além de uma falta em Guerrero na origem do gol de empate dos rivais.

"O que ele fez... (ele) está de brincadeira", sussurrou Tite, antes de chegar ao vestiário, balançando a cabeça negativamente. O treinador estava indignado com a perda da invencibilidade de nove jogos por causa dos erros.

No campo, ele até se conteve, mas, no vestiário, foi à loucura. Demorou para chegar e apareceu com cara de poucos amigos. Gritou, levantou da mesa e claro, desabafou, até contra Neymar, que, segundo ele, pisou em Guilherme de propósito.

"Quero primeiro enaltecer o grande jogo. Foi um grande jogo do Corinthians e a capacidade de concentração que tivemos. A arbitragem errou de forma muito clara, lamentável, em lances pontuais. Fomos bater uma falta no final do jogo, jogar para área e o Neymar deve ter ficado a quatro, cinco, seis passos da bola. Avisei o árbitro reserva e nada. Foram lances que acabaram tirando um pouquinho desse baita clássico", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansSantos FCFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.