Tite fala grosso e pede respeito ao Corinthians

Treinador se irrita com tantas acusações de que time é favorecido e usa números da campanha para retrucar os rivais

Fábio Hecico, O Estado de S.Paulo

17 de novembro de 2010 | 00h00

Tite é considerado um gentleman no mundo do futebol. Educado, atencioso, de voz mansa, o treinador corintiano dificilmente perde a compostura. Ontem, ele quase estourou por causa das insinuações sobre um favorecimento da arbitragem ao Alvinegro. Sem entrar em rota de colisão com esse ou aquele, usou de ironia em algumas respostas, repetiu a palavra "trabalho" em muitas ocasiões e até elevou o nível da voz em certo momento.

A revolta foi por causa das duras reclamações dos cruzeirenses, indignados com a falta em cima de Ronaldo na área, que definiu o jogo, e por possíveis pênaltis em Thiago Ribeiro, não anotados. "Eu não consigo ver pênalti duvidoso, juro. Foi muito claro, muito claro", afirmou o técnico, dizendo que Sandro Meira Ricci acertou ao dar a penalidade em lance com o zagueiro Gil. "Respeito muito o outro lado (as reclamações), pois já perdi muito (com possíveis erros). Porém, volto a dizer: não atingimos o estágio que chegamos sem trabalho e merecimento. Ninguém passa oito (na verdade sete) jogos sem vencer e retoma o padrão sem trabalhar. Quero olhar o mérito do Corinthians", enfatizou Tite. "Eu podia falar diversos lances dos outros. Não vou ficar levantando esse tipo de coisas, mas quero que respeitem meu trabalho e o da equipe que dirijo", seguiu, pela primeira vez após mais de um mês no clube, com a voz alterada.

Um torcedor corintiano fez o "trabalho" para Tite. Ele postou um vídeo no Youtube, definido como "dossiê Cruzeiro 2010", com dez jogos nos quais os mineiros teriam sido beneficiados. Foi uma resposta a outro vídeo que trazia erros pró-Corinthians. A guerra de dossiês, contudo, não vai tirar o mérito de uma possível conquista do Campeonato Brasileiro pelo Corinthians, apostou Tite.

"Cada pessoa tem o bom senso, a capacidade de análise, tem ouvido vocês e os técnicos, vendo jogos... Não desprezo a capacidade e inteligência de ninguém de entender e compreender as coisas. O público é inteligente."

Tite ainda enumerou as qualidades do Corinthians na competição: ataque mais positivo, dono do maior número de vitórias e da quinta melhor defesa. "Isso foi premeditado, senão fica parecendo que não trabalhamos aqui. Estou falando do trabalho que vem sendo desenvolvido aqui ao longo do tempo. Temos trabalho por trás dos méritos, pois sempre figuramos entre os três melhores", cutucou.

Ambição. O Alvinegro, líder com um ponto a mais que o Fluminense, é o único a passar todas as rodadas do Nacional no G3, que garante vaga à Libertadores. Ele, porém, quer ir além. "Nesse estágio, o que brilha o olho é o título. E a alegria plena será com a conquista. Conseguimos gordurinha por olhar apenas para nós, temos vantagem nos critérios de desempate e só depende da gente. Mas os três estão vivos na disputa", disse. "O campeonato é complicado e o mais importante será estar em primeiro na última rodada."

Diante do Vitória, domingo, no Barradão, Danilo deve ganhar a vaga de Bruno César, suspenso. Tite rasgou elogios ao meia, ex-São Paulo, ontem. Jorge Henrique substitui Dentinho.

Imprescindível. Tite também elogiou muito Ralf. Desde que o volante voltou à equipe, recuperado de contusão, foram seis jogos e apenas um gol sofrido. "Não sou diferenciado. Todos aqui são importantes, mas não achava que ia fazer tanta falta", se surpreendeu. Sobre o futuro, concentração. "São três rodadas decisivas. Temos de esquecer o título e pensar só no Vitória."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.