Werther Santana/AE - 24/10/2010
Werther Santana/AE - 24/10/2010

Tite pode se salvar no clássico de domingo

Treinador está ameaçado de cair após a sua única derrota no Corinthians. Vitória sobre Palmeiras significa a redenção

Bruno Deiro, O Estado de S.Paulo

04 de fevereiro de 2011 | 00h00

SÃO PAULO - Desgastado com a torcida, Tite vai para o clássico de domingo com o Palmeiras, pelo Estadual, com a corda no pescoço. O treinador ainda não revelou se colocará titulares ou reservas para o jogo que deve definir sua permanência na equipe. Seu discurso, porém, é o mesmo dos últimos jogos. "É sempre o Corinthians (que vai a campo). Independentemente de nomes, a responsabilidade é sempre de vitória."

Sempre sereno nas entrevistas, Tite não deixa transparecer a pressão que enfrenta no Corinthians. Após a eliminação na Colômbia, as declarações do presidente Andrés Sanchez de confiança no técnico foram pouco convincentes. "Se eu tirar sou burro, se eu deixar, sou burro também, então vou na minha convicção", disse o dirigente. "Quando se perde, todo mundo tem seus erros. Aqui não tem nenhum herói e nenhum vilão. Ele tem a culpa dele, eu a minha, e os jogadores a deles."

O duelo com o arquirrival Palmeiras pelo Estadual, que a princípio parecia ocorrer em má hora, pode ser a salvação para Tite. Por sinal, um dos motivos de sua manutenção no cargo é o clássico: seria ainda pior enfrentar o Palmeiras sem técnico. E uma vitória domingo, no Pacaembu, pode livrá-lo definitivamente de perder o emprego. "Espero ter de falar só uma vez sobre esse assunto. Vou continuar me doando com a minha competência, trabalho e dignidade em busca de resultados", despistou Tite. "Quanto à continuidade, só a diretoria é que pode falar. Agora é hora de lamber feridas."

Sobram dilemas. A tarefa de Tite para convencer a diretoria corintiana a lhe dar uma segunda chance não é nada fácil. O treinador tem mais dúvidas do que certezas para tentar reencontrar o caminho das vitórias. A primeira delas é no ataque: visivelmente sem condições físicas, o Fenômeno pode ser poupado, o que aumentará as críticas da torcida. Dentinho, em má fase, teria então de assumir sozinho a responsabilidade dos gols.

No meio-campo, o peruano Luis Ramirez surgiu como boa opção para o meio-campo, mas perdeu confiança após a expulsão infantil em Ibagué. Bruno César, que vinha mal e foi para o banco, está desprestigiado e Danilo nunca caiu nas graças dos corintianos. Optar por Paulinho, no entanto, significará a consolidação do defensivo esquema com três volantes.

Com tantos problemas, Tite ganhou ao menos o apoio de Roberto Carlos, barrado por causa de dores na coxa direita no jogo da Colômbia. "Conversamos e achamos melhor eu ficar fora. Não foi nenhuma imposição do treinador", disse ele, à TV Globo. O lateral, porém, afirmou que vai tentar jogar o clássico.

Veja também:

linkFim da lua de mel: torcedor pede para Ronaldo ir embora

linkVandalismo na crise corintiana

linkDesequilíbrio em momentos decisivos é marca corintiana

linkPresidente deve rever os projetos de marketing

linkMídia colombiana celebra feito e ironiza o rival

PAULISTÃO - tabelaClassificação | listaResultados

especialCALENDÁRIO - O caminho de cada time

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.