Tite só deseja o 'Corinthians de volta'

Técnico diz trabalhar ara time retomar futebol da época em que era líder. E, no início, dá prioridade à recuperação da defesa

Fábio Hecico, O Estado de S.Paulo

21 de outubro de 2010 | 00h00

Administrar bem a posse de bola e não ter vergonha de recuá-la para o goleiro nos momentos mais difíceis. O primeiro dia de trabalho de Tite no Corinthians, ontem, mostrou um pouco como será sua equipe. Em 50 minutos de um treino conhecido por "dois toques", com espaço e campo reduzidos, o treinador pediu aos times, com 10 jogadores cada, que corressem bastante e mostrassem agilidade na hora de encontrar um companheiro mais bem posicionado.

"Meu time terá consistência defensiva sem abrir mão de ser ofensivo", garantiu, sem, contudo, divulgar a escalação para o clássico de domingo, contra o Palmeiras, no Pacaembu. No primeiro treino, atenção especial apenas com o atacante Iarley, com quem conversou por cerca de cinco minutos.

A velocidade, com toques rápidos e força atrás, foi característica observada pelo treinador antes de embarcar para os Emirados Árabes, há pouco menos de dois meses. Resgatar esse futebol será sua missão nas oito decisões - ou "oportunidades, não desafios" -, observou Tite. A rodada final do Brasileiro será em 5 de dezembro. "Há dois meses, era a (equipe) mais consistente do futebol brasileiro, grande favorita ao título. Passou algum tempo e se perdeu. Retomar é o primeiro passo para ambicionar o título", discursou. Como? "O time joga no 4-3-3 já há algum tempo, podemos utilizar três zagueiros ou o losango no meio. São várias as possibilidades, e minha busca é simplificar as situações."

No clássico, Tite deve optar pela formação que mais se aproxima do Corinthians que vinha na ponta no início do campeonato. A defesa será a considerada ideal e o quadrado do meio deve voltar a atuar junto após 11 rodadas, com Ralf, Jucilei, Elias e Bruno César. Restaria a definição, apenas, do companheiro de Ronaldo, muito provavelmente Iarley. "O Ronaldo tem grande capacidade técnica, é definidor, o jogador que faz a diferença. Por isso, é preciso todo o cuidado para tê-lo em totais condições. Esperamos contar com ele nos oito jogos."

Nas contas de Tite, o campeão terá entre 65% e 68% de aproveitamento. Para se aproximar desse número, restando oito rodadas para o fim, o Corinthians terá de ganhar todas as partidas - chegará, assim, a 64,9%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.