Título da Libertadores é pouco para Ganso desistir da Europa

Meia é irredutível quanto ao desejo de jogar fora. Caso vença competição, diretoria vai tentar fazer jogador ficar até o Mundial

, O Estado de S.Paulo

16 de abril de 2011 | 00h00

A vitória do Santos contra o Cerro Porteño, em Assunção, não vai alterar o final da novela na qual se transformou a extensão do contrato de Paulo Henrique Ganso. Apesar do respiro naTaça Libertadores, o jogador se mantém firme no propósito de ir para a Europa ainda neste ano. A única chance de a transferência ser adiada de julho para o fim do ano é o Santos ganhar a Libertadores e convencê-lo a disputar o Mundial da Fifa.

Em meio à comemoração pelo resultado fora de casa, o presidente Luis Alvaro Ribeiro garantiu que não fará mais pressão para que Ganso aceite o plano de carreira do clube. "Ele é meu amigo e sabe o que o Santos oferece. As portas estão abertas para que nos procure e dê uma resposta no momento que quiser", afirmou o dirigente.

A decisão de Ganso de ir o quanto antes para o futebol italiano (Milan ou Internazionale) não é apenas por questão financeira. Em 12 de outubro ele vai completar 22 anos e, depois de ter sofrido contusões graves nos joelhos, sente que é o momento para enfrentar novos desafios.

Veja também:

link Ganso prometeu não jogar em outro time do Brasil, diz presidente; meia despista


 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.