Arquivo/AE - 13/12/1987
Arquivo/AE - 13/12/1987

Título de 87 do Flamengo expõe racha do Clube dos 13

Rubro-Negro aproveita conflitos na entidade e se reaproxima da CBF, que oficializa a polêmica conquista do Brasileiro

Leonardo Maia, O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2011 | 00h00

O reconhecimento oficial do título brasileiro do Flamengo em 1987 é demonstração da mudança de posição do clube em relação ao Clube dos 13. Em coletiva para exaltar a homologação da sexta conquista, a presidente Patrícia Amorim fez questão de frisar a importância de novos pareceres jurídicos sobre a controvérsia, mas não rejeitou a ideia de que a reaproximação com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) muito se deve aos rumores sobre a negociação dos direitos de transmissão dos jogos com a TV.

Na reunião da entidade, marcada para esta quarta-feira, ensaia-se um racha. "As coisas não deveriam estar interligadas, mas caminharam para isso. Não descartamos nenhuma possibilidade", disse a mandatária rubro-negra, questionada sobre o rompimento que se anuncia entre Flamengo e outras agremiações e o Clube dos 13.

Segundo Patrícia, as conversas com o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, eram costuradas havia dois meses e se intensificaram 30 dias atrás. A presidente do Flamengo admitiu que talvez tenha havido maior boa vontade de Teixeira em rever sua posição quando começaram a circular as informações da fragilidade do Clube dos 13. "O Flamengo aproveitou essa deixa (o racha) para retomar o assunto (reconhecimento do título de 1987) e atualizar seus pareceres jurídicos", destacou a dirigente.

Taça das Bolinhas. Patrícia disse também que vai lutar pela devolução da Taça das Bolinhas, recentemente entregue ao São Paulo como primeiro pentacampeão brasileiro. "O Flamengo não quer perder mais nada, nem dentro nem fora de campo", afirmou. "Ainda mais o que já foi conquistado há muito tempo. Espero que o São Paulo tenha a grandeza de devolver a taça à Caixa Econômica. Do contrário, vamos lutar por ela."

No Morumbi, a diretoria rechaçou a ideia. "O São Paulo recebeu o troféu com base em decisão da Justiça. Não há motivos para devolvê-lo", observou o diretor jurídico, Kalil Rocha Abdalla. A Caixa Econômica Federal afirmou, em nota, que o problema deve ser resolvido pela CBF e pelos clubes envolvidos.

Para lembrar. Em 1987, a CBF se disse incapaz de organizar o Campeonato Brasileiro. As equipes mais fortes do País se uniram e formaram o Clube dos 13, promovendo a Copa União. Flamengo e Internacional fizeram a final. As equipes excluídas cobraram da CBF outra competição, batizada de Módulo Amarelo. Sport e Guarani, finalistas do módulo, pretendiam fazer um quadrangular com Inter e Flamengo, que se recusaram. O Sport derrotou o Guarani e foi reconhecido como o campeão nacional daquele ano.

Veja também:

linkSport promete brigar por título exclusivo de 1987

linkPatrícia Amorim comemora título de 87 e pede devolução da Taça das Bolinhas

link Diretor diz que São Paulo não devolverá Taça das Bolinhas ao Flamengo

blogAntero Greco: Flamengo hexacampeão. Generosidade da CBF?

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.