Título na São Silvestre iria coroar ótimo ano de Lucélia

Para Lucélia Peres, o título da São Silvestre no domingo (com largada às 15h15 no feminino e 17 horas no masculino) seria a coroação da melhor temporada da carreira. A fundista mineira, nascida em Paracatu, que vive em Brasília desde os 3 anos, se dedicou às provas de pista e melhorou todas as suas marcas dos 3 mil m, 5 mil m e 10 mil m. É a primeira do ranking brasileiro e sul-americano dos 5 mil e 10 mil. Mas no segundo semestre passou a treinar com prioridade para a São Silvestre. Correrá em São Paulo credenciada pelo tricampeonato da Volta da Pampulha.Mas na prova feminina ninguém se arrisca a apontar uma favorita. ?Tem as quenianas, uma com o tempo de 32 minutos nos 10 km (Pamela Bundotich), a colombiana Bertha Sanchez (5ª na São Silvestre de 2005) e as brasileiras, como Márcia Narloch e Marizete Rezende, que são experientes, e Sirlene Pinho, com ótima temporada.?Outro rival será o calor - a prova começa às 15h15. ?Vocês sabem a hora da largada? Penso em fazer os 15 km em 53 minutos?, disse Márcia Narloch, campeã pan-americana de maratona.Lucélia, de 25 anos, 1,66 m e 53 kg, acha que o calor pode mesmo ser rival perigoso. Relembrou o incidente na Meia Maratona do Rio, quando liderou até o último quilômetro e perdeu por causa de um mal-estar nos 320 m finais. ?A São Silvestre é uma corrida em que se busca pódio, não tempo?, observou Lucélia que fará uma largada cuidadosa - ?a descida da Consolação é perigosa? - e uma corrida ?bem dosada?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.