Jonne Roriz/Estadão - 2012
Jonne Roriz/Estadão - 2012

Todas as metas do judô foram alcançadas na Olimpíada de Londres

Brasil conquistou primeiro ouro feminino. Tiago, Leandro e Rafaela decepcionaram

Wilson Baldini Jr., O Estado de S. Paulo

01 de fevereiro de 2013 | 08h00

SÃO PAULO - O judô brasileiro desembarcou na Inglaterra para os Jogos Olímpicos de Londres no ano passado com três objetivos na bagagem: alcançar uma final feminina, ganhar uma medalha de ouro - a última havia sido conquistada por Rogério Sampaio em Barcelona/1992 - e somar quatro pódios nos Jogos. Todas as metas foram atingidas com o primeiro lugar de Sarah Menezes e os três bronzes conquistados por Felipe Kitadai, Mayra Aguiar e Rafael Silva.

O Brasil se classificou na sexta colocação no quadro geral do judô, atrás de Rússia, França, Coreia do Sul, Japão e Cuba.

O judô nacional atingiu a incrível marca de 19 medalhas olímpicas e se tornou a modalidade mais vitoriosa, superando em três pódios a vela e o vôlei - contando as vitórias na quadra e na praia.

Pela primeira vez a equipe feminina teve um desempenho superior ao da masculina, o que deixou orgulhosa a técnica Rosicléia Campos, que está no comando desde 2005. "Isso é fruto de um trabalho que está sendo feito desde o Pan do Rio, em 2007. As meninas passaram a ter o mesmo tratamento dos homens e os resultados não param de acontecer." Apesar de feliz com o resultado obtido, Rosicléia revelou que esperava pódio também para Erika Miranda e Rafaela Silva.

No masculino, Luis Shinohara estava satisfeito com o trabalho realizado. "Soubemos mesclar muito bem a juventude com a experiência", disse o veterano treinador. "Eu sempre apostei muito no Felipe (Kitadai) e no Rafael (Silva), por serem jovens e muito talentosos."

As derrotas dos experientes Leandro Guilheiro e Tiago Camilo, cada um com duas medalhas olímpicas, não foi uma decepção para o treinador. "Eles perderam porque os adversários foram melhores. As categorias dos meio-médios (Guilheiro) e dos médios (Tiago) são muito equilibradas e com vários grandes judocas em ação. A chance de perder é sempre muito grande."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.