Todos lamentam o dia em que 'a bola não quis entrar'

Derrota é sempre motivo para lamentação e desculpas, algumas vezes, inusitadas. Ontem, ao cair diante do Grêmio Prudente, por 2 a 0, em Presidente Prudente, os corintianos foram unânimes ao apontar o motivo do tropeço: a bola não quis entrar.

, O Estadao de S.Paulo

22 de março de 2010 | 00h00

Foram diversas as oportunidades criadas, com direito a duas bolas na trave, bicicleta de Souza raspando e o zagueiro Leonardo salvando finalização de Dentinho em cima da linha. "Hoje a bola teimou em não entrar, mas precisamos melhorar nas finalizações", reconheceu o meia Tcheco. "Futebol tem dessas coisas. Após 20 minutos cadenciados pelo forte calor (33 graus), deslanchamos, criamos oportunidades, chegamos com facilidade e são eles que vão lá e fazem 1 a 0", afirmou Roberto Carlos.

O técnico Mano Menezes seguiu a linha dos jogadores. "Tivemos duas, três chances maravilhosas para marcar. Só que era um dia em que a bola não ia entrar", observou. Ainda explicou a escalação com muitos reservas. "Só eu sei da situação dos jogadores. E temos de saber qual é a prioridade na temporada", disse, revelando que todos no clube miram a Libertadores. / F.H.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.