Maddie Meyer / AFP
Maddie Meyer / AFP

Tom Brady busca sexto título para consolidar seu reinado no Super Bowl

Partida é revanche do Super Bowl 36, quando Patriots chegaram como azarões e bateram Rams

Redação, Estadão Conteúdo

03 de fevereiro de 2019 | 22h51

A disputa entre New England Patriots e Los Angeles Rams na decisão do Super Bowl 53, no moderno Mercedes-Benz Stadium, em Atlanta, neste domingo, representa um desafio para um grande astro do futebol americano. Nas oito vezes em que esteve na decisão, Tom Brady venceu cinco (2002, 2004, 2005, 2015 e 2017) e perdeu três (2008, 2012 e 2018). Nenhum quarterback jogou tantas edições de Super Bowl quanto o astro do Patriots. É o único jogador da história eleito quatro vezes como MVP (jogador mais valioso) da decisão.

Aos 41 anos, o quarterback, responsável por comandar todas as jogadas ofensivas de seu time e é conhecido no Brasil por ser marido da modelo Gisele Bündchen, possui uma parceria de sucesso com o técnico Bill Belichick (66 anos). Desde que a parceria começou na NFL, em 2000, o New England Patriots é presença quase certa na disputa do Super Bowl.

Após a derrota para o Philadelphia Eagles no Super Bowl do ano passado, especulou-se a respeito do fim da hegemonia de New England e de Tom Brady. Mesmo com cinco derrotas em 16 partidas na temporada, pior marca desde 2009, o Patriots se classificou de forma tranquila aos playoffs. Na fase decisiva, mostrou a força que construiu sua dinastia. Bateu o Los Angeles Chargers e o Kansas City Chiefs, sensação do torneio.

A partida deste domingo será uma revanche do Super Bowl 36, quando os Patriots entraram como azarões e acabaram levando a melhor sobre os Rams - então de St.Louis - conquistando o primeiro Super Bowl de sua história. Este confronto também foi o primeiro da dupla Bill Belichick e Tom Brady.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.