Maddie Meyer/AFP
Maddie Meyer/AFP

Tom Brady deve ser lembrado por suas marcas na temporada de 2007

Foram seis títulos, nove campeonatos da AFC e um recorde de 219 vitórias e 64 derrotas

New York Times, O Estado de S.Paulo

19 de março de 2020 | 07h15

A carreira de 20 anos de Tom Brady no New England Patriots, que terminou na terça-feira com o anúncio de que ele procuraria uma nova equipe como um jogador livre, não teve escassez de superlativos. Foram seis títulos, nove campeonatos da AFC, um recorde de 219 vitórias e 64 derrotas - isso em uma temporada média de 12 vitórias e 4 derrotas.

Entre tantos marcos, embora sua passagem no New England possa parecer uma corrida interminável de excelência, um ano se destaca. Em 2007, Brady teve uma das melhores temporadas de todos os tempos para um quarterback e, não por coincidência, os Patriots tiveram uma das melhores temporadas da história para uma franquia.

Nas primeiras seis temporadas, Brady estabeleceu uma linha de base consistente de sucesso: cerca de 300 passes completados a uma taxa de 60%. Cerca de 25 touchdowns. Um pouco menos que uma interceptação por jogo. Uma taxa de jardas por tentativa de 6 ou 7. E muitas vitórias: 10, 12 e até 14 a cada temporada.

Quase todos os outros times da liga ficariam em êxtase ao receber números como esses de um quarterback, quanto mais ganhar três títulos do Super Bowl sob seu comando, como o Patriots fez nessas seis temporadas. Então Brady ficou melhor. Em 2007, aos 30 anos, ele levou seu jogo a outro patamar e alcançou marcas inéditas que, em muitos casos, nunca mais alcançaria.

Seus cerca de 300 passes completados se tornaram 398. E os receptores pegaram seus passes a uma taxa mais alta: 68,9% das vezes. É a única temporada da carreira de Brady em que ele liderou a liga em porcentagem de passes completados.

Cerca de 25 passes de touchdown por temporada? Como cerca de 50 em 2007? Esse era um recorde da NFL na época e ainda está empatado em segundo lugar na história do esporte ao lado do total marcado por Patrick Mahomes em 2018 e cinco pontos atrás da marca de Peyton Manning em 2013.

Brady nunca mais excederia 39 em uma temporada. Suas jardas de passe em 2007 atingiram 9,4%, o melhor da liga e outra marca na carreira que ele não conseguiu repetir. Os números surpreendentes de Brady em 2007 também anunciaram uma mudança permanente em seu conjunto de habilidades. Depois de uma dúzia de interceptações a cada temporada no início de sua carreira, Brady teve apenas oito em 2007, uma escassa tentativa de passe de 1,4%, em comparação com a mínima anterior de 2,3%. Desde então, Brady tem sido extraordinariamente difícil de ser interceptado.

A partir de 2010, Brady não teve uma taxa de interceptação superior a 2%. Em várias temporadas, ele quase parecia jogar como se não houvesse defesa em campo: ele sofreu apenas sete ou oito interceptações durante uma temporada inteira mais quatro vezes. Foram quatro interceptações em 2010, depois duas em 12 jogos em 2016, quando ele tinha 39 anos. Ele nunca mais atingiu as 14 interceptações alcançadas durante três de seus primeiros seis anos como titular.

Brady alcançaria números ainda melhores em algumas categorias nas temporadas seguintes: ele quebrou a barreira de 5 mil jardas em 2011, ultrapassou 400 passes completados três vezes e liderou a liga em várias categorias. Após o merecido primeiro prêmio de jogador mais valioso em 2007, ele ganhou novamente em 2010 e 2017. Ele também levou os Patriots a mais três títulos. Mas nunca mais repetiu uma temporada tão estrelada de ponta a ponta como a de 2007.

E esses números de Brady em 2007 somaram vitórias para os Patriots: 16 delas e nenhuma derrota em em uma única temporada regular na NFL, algo registrado anteriormente apenas em 1972, quando o Miami Dolphins conseguiu 14-0. O estranho da fenomenal temporada de 2007 dos Patriots é que ela é lembrada como uma decepção por causa da virada no Super Bowl pelo New York Giants após a recepção de capacete de David Tyree. Mas talvez a passagem do tempo e a saída de Brady do New England dê aos fãs - e a quem o odeia - do Patriots a perspectiva de ver a temporada de 2007 por seus feitos notáveis./ TRADUÇÃO DE ROMINA CÁCIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.