Tóquio celebra vitória olímpica e nova fase para o Japão

O governador de Tóquio prometeu que o retorno dos Jogos Olímpicos ao Japão em 2020, quase meio século depois da primeira edição do evento organizado pela cidade, será um êxito esportivo e um impulso econômico para a nação. O governador Naoki Inose disse que os Jogos vão abrir um novo capítulo depois de anos de dificuldades econômicas e do desastre nuclear. "Tudo foi deixado para trás", disse. "Vamos nos unir como uma só nação".

AE-AP, Agência Estado

10 de setembro de 2013 | 13h05

Nesta terça, milhares de moradores da capital japonesa se reuniram na praça em frente à sede do governo para cumprimentar o seu governador e os membros do comitê de candidatura em seu retorno da votação do Comitê Olímpico Internacional, na Argentina, em Buenos Aires. Tóquio bateu Madrid e Istambul no último sábado.

As preocupações sobre o desastre nuclear em Fukushima, ao nordeste de Tóquio, quase atrapalharam a candidatura. Conter a radiação da danificada usina nuclear de Fukushima continua sendo um problema, mas o governo e a empresa que opera a central insistem que não haverá riscos de saúde para a multidão de atletas e espectadores que se aguardam para a Olimpíada.

Os Jogos de 1964 foram um marco na recuperação japonesa após a Segunda Guerra Mundial e ajudaram a projetar o país como uma potência econômica. Desta vez, organizar os Jogos poderá provocar criação de mais de 150 mil empregos, de acordo com algumas estimativas, além da entrada de US$ 40 bilhões na economia.

Mais da metade desses valores serão para a construção, vendas de itens relacionados ao Jogos e compras de novas televisões. Ter conseguido o direito de organizar a Olimpíada de 2020 aumentou os preços das ações de empresas de construção, imobiliárias e turismo.

Tudo o que sabemos sobre:
Olimpíada de 2020TóquioNaoki Inose

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.