Tóquio comemora vitória e promete cumprir promessas

Vitória é motivo de muita comemoração por parte dos japoneses

AE, Agência Estado

07 de setembro de 2013 | 19h49

BUENOS AIRES - Depois de 56 anos, os Jogos Olímpicos vão voltar a Tóquio em 2020. A cidade sede da Olimpíada de 1964 foi eleita neste sábado, pela assembleia do COI (Comitê Olímpico Internacional), para sediar também a edição de daqui a sete anos. A vitória foi motivo de muita comemoração por parte dos japoneses, depois da derrota na tentativa de receber os Jogos de 2016, quando foram derrotados pelo Rio.

"Vou ser sincero: estão tão fez, tão emocionado, que queria compartilhar essa alegria com todo o povo japonês", comemorou o primeiro ministro do país, Shinzo Abe. "Trabalharemos numa única direção. Hoje (sábado) mesmo volto para o Japão e trabalharemos desde o primeiro minutos pelo nosso objetivo", prometeu ele.

A vitória japonesa tem muito a ver com a promessa de organizar uma Olimpíada muito mais barata do que a do Rio, uma vez que a infraestrutura de transporte e parte dos equipamentos olímpicos já existem.

"Agora chega o momento da verdade e quero que façamos todo o possível para cumprir as expectativas. Nos deram uma tarefa imensa", disse Abe, que afirmou ainda que a felicidade vivida neste sábado foi maior do que quando foi eleito primeiro-ministro japonês.

Já o presidente do COI, o belga Jacques Rogge, destacou que Tóquio ganhou o direito de sediar os Jogos de 2020 de forma convincente. "Temos confiança de que o Japão organizará uma Olimpíada excelente", disse ele, indicando que Madri e Istambul, outras cidades concorrentes, foram prejudicadas por escândalos de doping em seus países. "Claramente os membros do COI prestaram muita atenção a luta contra o doping", apontou.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Olímpicos de 2020Tóquio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.