Tóquio recua em críticas à candidatura olímpica turca

O governador de Tóquio, Naoki Inose, pediu desculpas nesta terça-feira pelas críticas à Istambul, candidata rival na luta para sediar a Olimpíada de 2020. Inose, que também preside o comitê organizador da candidatura da cidade japonesa, foi citado no jornal norte-americano New York Times no último fim de semana sugerindo Istambul era menos desenvolvida e menos equipada para receber os Jogos do que a capital japonesa.

AE-AP, Agência Estado

30 de abril de 2013 | 09h36

Ele disse que o artigo focado em um pequeno número de comentários sobre outra cidade candidata não reflete seus pensamentos sobre a disputa pela sede da Olimpíada. "Eu lamentavelmente reconheço, porém, que algumas das minhas palavras podem ser consideradas inadequadas e, consequentemente, gostaria de oferecer minhas sinceras desculpas", disse Inose.

Na entrevista realizada em Nova York, Inose disse: "Para os atletas, onde vai ser o melhor lugar para se estar? Bem, compare os dois países e onde já tem infraestrutura construída e instalações muito sofisticadas". "Os países islâmicos, a única coisa que eles compartilham em comum é Alá, eles estão lutando uns com outros", completou.

As críticas do governador podem ser entendidas como uma quebra das regras do Comitê Olímpico Internacional (COI), que proíbe as cidades candidatas de realizar comentários sobre as rivais. As observações poderiam levar a uma repreensão ou advertência da Comissão de Ética do COI.

Tóquio, que organizou os Jogos Olímpicos de 1964, tenta voltar a receber o evento após ser derrotada pelo Rio no processo de escolha da sede de 2016. Istambul almeja receber pela primeira vez uma edição da Olimpíada. Madri também está na disputa da sede dos Jogos de 2020, que será escolhida pelo COI em setembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.