Torben diz que foi conservador para manter liderança

Barco do comandante brasileiro é o primeiro depois de quatro etapas da Volvo Ocean Race

AE, Agencia Estado

30 de janeiro de 2009 | 09h39

O velejador brasileiro Torben Grael, comandante do barco Ericsson 4, disse que decidiu adotar uma estratégia mais conservadora para chegar ao fim da quarta etapa da Volvo Ocean Race, na quinta-feira, a fim de conseguir manter o barco na disputa, manter a liderança da classificação geral e, acima de tudo, preservar a integridade de sua tripulação.Para isso, uma das atitudes foi ancorar o barco na altura do estreito de Luzon, no litoral das Filipinas, durante cerca de 12 horas, para aguardar que o tempo melhorasse. "Foi uma decisão tática sensata. O objetivo era chegar em boa forma. Conseguimos uma posição de pódio e continuamos liderando a regata", declarou o brasileiro, que viu três barcos ultrapassarem o seu veleiro nesse período - dois deles, no entanto, quebraram e não concluíram a etapa."Não se tratava apenas de perder ou não a liderança. O mais importante era chegar em boas condições, tanto materiais como humanas", completou Torben. A próxima etapa in-port da Volvo será em Qingdao, na China, no dia 7, e uma semana depois os barcos iniciam a etapa oceânica mais longa, saindo do litoral chinês e cruzando o Oceano Pacífico e o Cabo Horn, no extremo sul da América, para chegar ao Rio de Janeiro.

Tudo o que sabemos sobre:
Volvo Ocean RaceTorben Graelvela

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.