AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Torben e Marcelo ganham ouro na Star

Torben Grael e Marcelo Ferreira conquistaram nesta quinta-feira a terceira medalha de ouro para o Brasil nos Jogos de Atenas, a segunda no iatismo. Com o 11º lugar na nona regata e o quarto na décima, eles, que dominaram a classe Star desde o começo da Olimpíada, foram os campeões por antecipação. A prata e o bronze da categoria serão decididas somente na regata de sábado. Apesar do fato de que a conquista dos dois só poderá ser oficializada no sábado, quando acaba a disputa da classe Star, o Brasil já soma 6 medalhas na Olimpíada. Antes, havia conseguido duas de ouro, com Robert Scheidt (iatismo) e a dupla Ricardo/Emanuel (vôlei de praia), uma de prata, com Adriana Behar e Shelda também no vôlei de praia, e mais duas de bronze, com os judocas Leandro Guilheiro e Flávio Canto. No plano individual, a conquista desta quinta-feira transforma Torben Grael no maior atleta olímpico da história do Brasil. Afinal, ele chega à sua quinta medalha nos Jogos. Além dessa vitória em Atenas, ganhou ouro em Atlanta-96, prata em Los Angeles-84 e bronze em Seul-88 e em Sydney-2000. Essa performance na história olímpica foi reconhecida pelo COB um pouco antes do início dos Jogos de Atenas, quando Torben foi escolhido como porta-bandeira do Brasil na cerimônia de abertura da Olimpíada. Conhecido como ?Turbina?, Torben, de 44 anos, irmão de Lars Grael, veleja desde os 9 anos de idade na baía de São Francisco, em Niterói. Foi campeão em torneios de diversas classes, mas sua primeira medalha olímpica, de prata, foi na Soling, em Los Angeles-84, junto com Daniel Adler e Ronaldo Senft. Com esse barco, ele também havia vencido no Pan-Americano de 83, em Caracas. Em 88, nos Jogos de Seul, Torben já estava na Star, classe conquistou o bronze ao lado de Nelson Falcão. Foi campeão mundial com esse mesmo tipo de barco em 90, em Cleveland, nos EUA. Dois anos mais tarde, por causa de uma série de problemas, a vela brasileira foi mal na Olimpíada de Barcelona. A reação veio já nos Jogos seguintes, em 96, em Atlanta, quando Torben, já tendo como proeiro o carioca Marcelo Ferreira, levou o ouro na Star. A mesma dupla conquistou o bronze em 2000, em Sydney. Aos 38 anos, o companheiro de Torben é também um grande vencedor no iatismo. Além das campanhas olímpicas, Marcelo Ferreira tem dois títulos mundiais na Star, em 1990 e 1997, entre os mais importantes. Conhecido como ?Playboy? no meio da vela, Marcelo Ferreira, de 1,81 metro e 106 quilos, foi até o ano passado secretário de Esportes de Niterói, cargo ao qual renunciou para treinar para Olimpíada de Atenas. Nesta quinta-feira, os vencedores da nona regata da Star foram Peter Bromby e Lee White, das Bermudas. Na décima, chegaram em primeiro os franceses Xavier Rohart e Pascal Rambeau, que ocupam a segunda colocação na classificação geral com 47 pontos perdidos (Torben e Marcelo acabaram com 31). Em terceiro lugar estão os canadenses Ross Macdonald e Mike Wolfs, com 49,2 . A 11ª e última regata da classe será no sábado.

Agencia Estado,

26 Agosto 2004 | 11h08

Mais conteúdo sobre:
olimpíada 2004 olimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.