Torben vence primeira no Mundial de Star

Seis meses sem treinar porque o barco do segundo ouro olímpico, em Atenas, demorou para sair da Europa e depois ainda ficou retido na alfândega do Rio de Janeiro, Torben Grael não deu chance a seus principais adversários já na primeira regata do Mundial de Star, que vai até a sexta-feira em Olivos, província de Buenos Aires, na Argentina. Com ventos mais fortes no início, e ainda saindo atrás dos dez primeiros colocados, o timoneiro e seu proeiro Marcelo Ferreira começaram a a se recuperar na terceira bóia, reagindo a tempo de terminar à frente dos suecos Fredrik Loof e Anders Ekstrom, campeões mundiais no ano passado, em Gaeta, na Itália. Foi a primeira de seis regatas no Rio da Prata, que na sexta teve ventos de até 90 km/h e muita chuva na horizontal na regata de apresentação (que não conta pontos e só teve duas duplas terminando). São 52 competidores, de 20 países. Hoje, a regata também inicou-se com vento relativamente forte, até 20 nós (cerca de 30 km/h). O irlandês Max Treacy e o proeiro Anthony Shanks largaram à frente dos australianos Iain Murray e Andrew Palfrey, mas foram passados pelos holandeses Roy Heiner e Alex Breseker. Atrás vinham campeões mundiais como o inglês Iain Percy (e Steve Mitchell) o sueco Loof, o francês Xavier Rohart (com Pascal Rambeau, dupla de bronze olímpica em Atenas/2004), o norte-americano Mark Reynolds, ouro olímpico em Sydney/2000 (com Phil Trinter) e o brasileiro Torben. Na quinta e penúltima bóia, Heiner tomou a liderança, com Torben em segundo. Na última, foi Torben quem cruzou em primeiro, vencendo a regata. Interessante que velejadores que farão parte da tripulação do barco "Brasil 1" para a regata de volta ao mundo, a Volvo, que larga em novembro, também já conseguiram boa apresentação ontem - Roberto "Chuny" Bermúdez foi 16º (com Manrique Doningo) e Guillermo Altadill, 21º (com (David Vera). Robert Scheidt, o brasileiro heptacampeão mundial de Laser que também tem dois ouros olímpicos da classe e começa a carreira na Star, foi décimo, com o proeiro Bruno Prada. A classificação está dentro de seus planos, para um primeiro Mundial. Lars Grael e Marco Lagoa chegaram em 15º. Há mais seis duplas brasileiras na disputa.

Agencia Estado,

12 de fevereiro de 2005 | 19h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.