Torcedores do Palmeiras são baleados

Confronto de torcida organizada com a Polícia Militar resulta em dois feridos, um deles com gravidade

Daniel Batista, Vítor Marques e Sandro Villar, O Estado de S.Paulo

29 de agosto de 2011 | 00h00

PRESIDENTE PRUDENTE

Duas horas antes da partida, dois torcedores do Palmeiras foram baleados em confronto com a polícia nas proximidades do Estádio Prudentão. Os dois são membros da torcida organizada Mancha Verde e foram levados para um hospital, onde passaram por cirurgia.

O torcedor palmeirense Roberto Vieira de Castro Filho, de 22 anos, está internado em estado gravíssimo na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional, em Presidente Prudente. Ele passou por cirurgia após ser baleado no glúteo direito. "Ele passou por cirurgia com três especialistas e os médicos vão observar seu estado nas próximas horas. A situação é gravíssima", disse o gerente de futebol palmeirense, Sérgio Prado, que acompanha os torcedores no hospital.

A família do rapaz deve chegar hoje à Presidente Prudente. A prefeitura local disponibilizou quartos de hotel para ela e diretores da Mancha Verde.

Já o estado de saúde de Lucas Alves Leso, palmeirense de 21 anos e morador de São Paulo, é considerado bom.

"Ele está em observação, um irmão o acompanha", completou a assessora. Lucas Alves tem um ferimento na perna e deve ficar três dias internado antes de ser liberado pelos médicos.

Minutos antes da confusão, a polícia recebeu uma denúncia pelo 190 de que membros da Mancha Verde teriam partido de São Paulo armados. A confusão ocorreu perto do portão azul, setor destinado à torcida do Palmeiras. Segundo a polícia, a briga ocorreu porque palmeirenses começaram a provocar corintianos. A PM interveio, os alviverdes passaram a atacá-la e aí ocorreram os disparos

Os membros das organizadas de Corinthians e Palmeiras, que moram na região, foram para o estádio juntos e não houve registro de qualquer problema. A confusão se deu com a organizada de São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.