Imagem Antero Greco
Colunista
Antero Greco
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Torcer pelos craques

Os espanhóis discutem até agora detalhes e desdobramentos do clássico de domingo entre Real Madrid e Barcelona. Se bem que espanhóis e polêmica andam juntos, está no sangue deles. O fato é que os 4 a 3 para os catalães rendem conversas intermináveis: se o juiz acertou, se errou, se forçou a barra, se Neymar provocou pênalti, se foi impedimento no lance, se Messi humilhou, se Cristiano Ronaldo esteve aquém do esperado, se o campeonato está aberto, se a briga pelo título ficará, até o fim, entre Real, Barça e Atlético de Madrid.

Antero Greco, O Estado de S.Paulo

26 de março de 2014 | 02h08

As resenhas costumeiras e pertinentes aos gringos, se bem que a tal globalização... Mas puxo o papo para cá, para o Mundial que logo estaremos a bancar. Há quem tenha detectado perigo no ressurgimento do Messi justo nos meses que antecedem a Copa. O argentino volta a brilhar, como nos três gols no estádio Bernabéu, fora o passe para Neymar, os dribles e aquele repertório estonteante de sempre.

Soa o alarme patriótico: isso não é bom, vai que o danadinho cisma de aprontar em nosso quintal, daí é fogo na caixa d'água. Se observarmos de acordo com interesses locais, há razões de sobra para ficarmos com o pé atrás. O moço já mostrou, em incontáveis ocasiões, capacidade incontestável de desmontar defesas e desatar nós e livrar o time dele do sufoco. Só falta fazer isso pra cima da seleção, num hipotético clássico com a Argentina.

Pois eu digo: tomara que Messi enfrente o Brasil e dê show. (Tá bem, tá bem, com derrota no final.) Ou, se não chegar a encarar Daniel Alves e Neymar, hoje companheiros de clube, que se destaque intensamente no torneio. Que deixe a marca dele, que provoque saudades em todos os estádios em que se apresentar. Que fiquem histórias para relembrar por décadas e décadas. Daquelas que os mais velhos contam para os jovens. "O Messi arrancou do meio-campo e driblou todo mundo", "O baixinho era um foguete"...

Copa serve para isso, para que o futebol reverencie os craques, para que o público veja reunidos os melhores, os mais habilidosos, os goleadores, os goleiros formidáveis, os zagueiros implacáveis, os meias criativos. Ora, até os cães de guarda aguerridos e valorosos. O Mundial não pode ser uma assembleia de cabeças de bagre, não equivale a Estadual, a um tira-teima regional.

Nenhum fora de série poderia ausentar-se; seria proibido, um acinte, uma afronta. O festival da bola deveria contar com todos os astros do momento. Fosse a Fifa, na pior das hipóteses, dava um jeito de encaixar um deles que, por um azar da vida, não conseguisse classificação em campo. Por exemplo: pegava o Ibrahimovic e cedia para Honduras. Só para que ele tivesse o prazer de jogar e para que a plateia o visse em ação. Não um monte de suecos; só ele mesmo. Os hondurenhos agradeceriam também, e como! Tenho certeza.

Por essa linha de raciocínio, torço para a recuperação do colombiano Falcao García e li com satisfação que o holandês Van Persie ficará só um mês fora, depois de marcar três para o Manchester United, na Champions, e se machucar. Menos mal.

Tomara estejam inteiros, tinindo, como tem ocorrido com o uruguaio Luis Suárez e com o Cristiano Ronaldo. Atletas de nível são a razão de ser do Mundial, assim como Neymar. Gostaria que estivesse mais solto no Barcelona e dá desalento notar que muita gente, por aqui - sim, sim, brasileiros - se satisfaz ao vê-lo em baixa. Por antipatia, dor de cotovelo, sei lá. Porque joga "na seleção da CBF"? Ora, pouco me lixo para CBF.

Torço por ele por ser ótimo jogador e, por que não?, por ser brasileiro. Mas torço acima de tudo por craques, independentemente da nacionalidade. Torço pelo futebol.

Hora H. Quer dizer que hoje começa o Paulistão, com as quartas de final? Um tanto de maldade e, infelizmente, muito de verdade. Se não houver zebras, passam os mandantes, Santos (contra Ponte), Palmeiras (Bragantino), São Paulo (Penapolense) e Botafogo (Ituano).

Tudo o que sabemos sobre:
Antero Greco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.