Torcida canta 'adeus Mano' e pede Felipão

Antes do gol salvador de Neymar, goianos perderam paciência com Mano e pediram a volta do técnico pentacampeão

VÍTOR MARQUES , ENVIADO ESPECIAL / GOIÂNIA, O Estado de S.Paulo

20 de setembro de 2012 | 03h03

Os mais de 30 mil torcedores que foram ao Serra Dourada não ficaram satisfeitos com a fraca atuação da seleção brasileira. Isso ficou evidente logo após a saída de Lucas, aos 30 minutos do segundo tempo, quando a massa não se aguentou e começou a pedir a cabeça do técnico Mano Menezes. Aos gritos de "adeus Mano" e "volta Felipão", os fãs chiaram diante da atuação apática da equipe. Algumas faixas também foram exibidas no estádio. A partir daí, a seleção perdeu o apoio que vinha tendo e muitas vaias foram ouvidas.

Para o volante Paulinho, ninguém pode se abater com as vaias vindas das arquibancadas. "Temos de entender o torcedor, que sempre quer gols e espetáculo. O resultado foi importante porque conseguimos aproveitar as oportunidades e saímos com a vitória", disse.

Nos descontos, logos após o gol da vitória de Neymar, de pênalti, Mano comemorou com raiva, olhando para a torcida e levantando os braços. Ele sabe que o resultado positivo o ajuda a se manter no cargo.

Durante a semana, ele já vinha dizendo que não estava preocupado pelo fato de Luiz Felipe Scolari, campeão na Copa de 2002, estar no mercado após sua saída do Palmeiras. Mano disse que isso não alterava o planejamento, mas nos bastidores fica evidente que a pressão por mostrar serviço é muito grande, ainda mais tendo uma sombra deste tamanho desempregada. O próprio presidente da CBF, José Maria Marin, evita especular e não fala em troca de comando.

Novo palco. A seleção fará a preparação para a Copa das Confederações de 2013 em Goiânia, capital que ficou fora do Mundial de 2014. O período de treinos será entre o final de maio e o início de junho, segundo Marin. O local não está definido, mas o Centro de Treinamentos do Atlético-GO é o favorito.

Pesou na escolha por Goiânia o fato de o Brasil estrear na Copa das Confederações em Brasília, que fica cerca de 200 km da capital goiana. O primeiro jogo da seleção será no dia 15 de junho contra um adversário que será definido em sorteio no início de dezembro, em São Paulo.

"Nós nos sentimos em casa na cidade de Goiânia'', disse Marin ontem, no Palácio do Governo goiano ao lado do governador Marconi Perillo (PSDB).

De acordo com o presidente da CBF, a comissão técnica da seleção brasileira aprovou a escolha da capital goiana para a realização dos treinamentos.

Amistosos. O presidente da CBF disse ainda que não está previsto nenhum amistoso preparatório para a Copa das Confederações em Goiânia.

Marin afirmou que a CBF está decidindo algumas datas dos amistosos para 2013. A seleção jogará com a Inglaterra em 6 de fevereiro, em Wembley, e uma outra partida deverá ocorrer no Rio. Ele citou negociações avançadas com a federação portuguesa para dois jogos. "Se forem adversários fortes, melhor.''

Ainda em 2012, a seleção enfrentará novamente a Argentina, no segundo jogo do Superclássico, dia 3 de outubro, em Resistencia, e depois Iraque, dia 11, na Suécia, e Japão, 16, na Polônia.

Seleção no Corinthians. O diretor de seleções da CBF, Andrés Sanchez, confirmou que o Brasil usará o CT do Corinthians antes do jogo da volta contra Argentina - no ano passado, antes do jogo com a Romênia que marcou a despedida de Ronaldo, a seleção também treinou no local.

Os jogadores devem se apresentar dia 1.º de outubro no CT, onde farão apenas um trabalho de recuperação. O treino para a partida será na véspera do jogo, antes da ida para a Argentina.

A viagem a Resistencia, que fica na província de Chaco, próximo ao Paraguai, será feita em voo fretado pela CBF. Em razão da dificuldade de encontrar um hotel na cidade, a seleção brasileira decidiu ficar hospedada no mesmo local do time argentino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.