Torcida do Bahia aflige o Botafogo

Para o técnico Oswaldo de Oliveira, os três próximos jogos do Botafogo são prioritários para a conquista de uma vaga na Libertadores, a começar pelo de hoje, contra o Bahia, às 16 horas, em Pituaçu (os próximos rivais são Fluminense e Santos).

O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2012 | 03h05

Segundo Oliveira, a dificuldade maior é a força da torcida baiana, que fez um pacto para ajudar a equipe nordestina a se livrar do risco de rebaixamento. O Botafogo, invicto há seis partidas, está em sexto lugar, com 40 pontos, a quatro do Vasco, o quarto. Entre os dois há o São Paulo, em ascensão, com 42 pontos.

O técnico aposta no talento de Seedorf para desequilibrar. O holandês teve ótima atuação no empate contra o Corinthians, quando marcou dois belos gols. O principal desfalque ainda é o meia Renato, contundido; sua vaga permanece com Gabriel.

Para o goleiro Jefferson, o time alvinegro está cada vez mais maduro e tem condições de voltar com uma vitória. "O torcedor faz pressão no estádio, mas não mexe na perna dos jogadores".

Com as dúvidas sobre a escalação de Zé Roberto e Gabriel, que saíram do treino com dores musculares, e a ausência confirmada de Souza, também contundido, o Bahia precisa retomar a série de vitórias depois da derrota para o Inter fora de casa. O técnico Jorginho tentou mostrar otimismo e preferiu esperar o último momento para definir a escalação. O Bahia tem 31 pontos, apenas quatro de vantagem para a zona de rebaixamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.