Torcida já compra camisa de Ronaldo

O contrato nem foi assinado, mas a número 9 do atacante já começou a ser vendida ontem

Anelso Paixão e Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

10 de dezembro de 2008 | 00h00

O relógio ainda não marcava se meio-dia quando a notícia explodiu: Ronaldo, de 32 anos, defenderá o Corinthians em 2009. "Realmente chegamos a um acordo", confirmou seu empresário, Fabiano Farah. Horas depois, o craque, novo camisa 9 de Mano Menezes, já dava lucro aos cofres corintianos com a venda de camisetas com a número 9 e seu nome. Mesmo sem data para estréia (há possibilidade de ser em 1.º de fevereiro) ou mesmo apresentação oficial, 100 peças, ao preço de R$ 169,90 cada, foram negociadas na loja do Parque São Jorge. O clube espera recuperar rapidamente os cerca de R$ 6 milhões que vai investir em salários no ano. Confira toda a trajetória de Ronaldo como jogador O corinthians agiu certo em contratá-lo? Vote TV Estadão: assista à opinião dos colunistas "São camisas oficiais que tínhamos no estoque e que optamos pela personalização, colocando o nome e o número do Ronaldo", disse Silvio Tieppo, gerente da loja, animado com a fila no setor especializado da loja. "Vai atingir a marca (de venda) do Carlitos (Tevez). O telefone não pára, todos já querem comprá-la", observou.A camisa do atacante argentino vendia, em média, 400 unidades por dia nas lojas do clube. Agora, a expectativa é de que o número passe de 500 com Ronaldo. "Ficamos felizes que a negociação tenha dado certo. E estamos preparados para atender toda a demanda extra, adicional, que as lojas precisarem", garantiu David Grinberg, gerente de comunicação da Nike no Brasil.Perto do Natal, Grinberg não admite a hipótese de o corintiano ficar sem sua camisa do novo ídolo do Parque São Jorge. Há um ano, Nike e Corinthians enfrentaram problemas com fornecimento de material. "Agora não faltarão camisas. Estamos preparados. Sabemos que o Ronaldo é uma inspiração para a molecada e é grande a aceitação de produtos ligados a ele", observou. "Esperamos uma alta acentuada nas vendas."A Nike diz não ter participação na negociação. Clube e jogador são patrocinados pela multinacional norte-americana, que vê com simpatia o retorno do astro ao Brasil.O acordo para contar com o atacante em 2009 se arrastava fazia alguns dias e foi fechado na madrugada de ontem. Os exames médicos já foram aprovados por Joaquim Grava. "Está tudo bem", afirmou. A apresentação oficial deve ocorrer na sexta-feira pela manhã, apesar de o jogador preferir a segunda-feira. Com grande festa e com a sirene do Parque São Jorge sendo acionada em sua chegada. O próprio Grava foi encarregado de buscar o jogador no Rio e da elaboração do plano de treinamento, em parceria com o preparador físico Flávio de Oliveira.A estrutura do clube paulista também teria pesado na hora de Ronaldo abandonar o projeto de defender o Flamengo. O jogador ficou animado com a possibilidade de terminar a recuperação da grave lesão do joelho em um dos clubes mais bem aparelhados do País, ao lado de São Paulo e Palmeiras.O contrato será por um ano, com possibilidade de renovação por mais um, caso seja confirmada vaga para a Libertadores de 2010, ano do centenário do Corinthians. Para amigos, Ronaldo admite que encerrar a carreira no Parque São Jorge - com títulos - seria uma alternativa bem vista.Além dos salários, o Fenômeno lucrará com a venda de produtos licenciados com sua imagem. O Departamento de Marketing do Corinthians já adiantou que, desde chaveiro a roupas de bebês e crianças, até toalhas, tudo terá ligação com o craque. Nesses produtos, o clube também leva uma parte nas vendas. O patrocínio para a manga da camisa e o calção será totalmente do jogador, que tem uma empresa para cuidar de negociações com publicidade.ESTRÉIAA estréia pode ser na quarta rodada do Paulista, em 1º de fevereiro, um domingo, no Pacaembu, diante do Oeste. Ou seja, praticamente um ano após a última partida oficial. Em 13 de fevereiro, entrou no segundo tempo do duelo do Milan com o Livorno (1 a 1), no qual se machucou gravemente.A diretoria estudava fazer jogos como mandante em estádios maiores por causa do astro, mas a idéia foi descartada. "Nosso orçamento está definido para mandarmos nossas partidas no Pacaembu. Apenas os clássicos têm o mando da Federação Paulista", informou Lúcio Blanco, diretor de arrecadação do Corinthians. A Fiel poderá ver seu astro em casa, porém terá de pagar mais por isso. Até sexta-feira, a diretoria define preços dos ingressos, que vão passar por reajuste. A FPF definiu R$ 20,00 como valor mínimo. "Temos de agregar valores, e o reajuste acontecerá", diz Blanco. "Valerá a pena ver esse time."Desde a saída de Tevez, o Corinthians não tinha um ídolo. Agora, os dirigentes até provocam os críticos. "Quero ver quem vai dizer que não há craques no futebol brasileiro", diz o diretor técnico Antônio Carlos. "É um grande presente de Natal para os corintianos e para os torcedores do País, para quem ama o futebol." COLABOROU DANIEL PIZANÚMEROS DE PESOR$ 6 milhõesé o valor que o Corinthians pagará em 2009 a Ronaldo, que também terá parte na venda de produtos e em patrocínio100 camisasdo atacante foram feitas em pouco tempo e todas acabaram vendidas pelo preço de R$ 169,90

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.