Torcida vaia a segunda derrota seguida do São Paulo

Erros de marcação voltam a atormentar o time, que se afasta da luta pela vaga na Libertadores

Fernando Faro, O Estado de S.Paulo

13 de agosto de 2012 | 03h08

SÃO PAULO - Tão logo o árbitro encerrou o jogo, Rogério Ceni saiu correndo para o vestiário para evitar a imprensa. Quem conhece o goleiro do São Paulo sabe que esse comportamento só acontece quando ele está extremamente irritado, sentimento que foi compartilhado pela torcida por meio de fortes vaias.

A derrota que deixou o São Paulo longe mesmo até da briga pelo G-4 foi a segunda seguida contra adversários mais fortes e, a exemplo do que aconteceu contra o Fluminense no meio da semana, teve influência decisiva dos erros de marcação.

Apesar de mais um tropeço em casa, Ney Franco não admite deixar a competição de lado para focar apenas a disputa da Copa Sul-Americana, torneio que garante ao campeão uma vaga na Libertadores do ano que vem. O treinador lamentou os vacilos que custaram os três pontos, mas considera precipitado abrir mão da disputa nacional.

"(a derrota) Atrapalha a arrancada que queríamos dar no campeonato. Até esta rodada estávamos a três pontos do quarto colocado e agora estamos a seis. Mas não podemos desistir no campeonato, que nem chegou à metade. Precisamos entrar em campo na quarta (contra o Náutico, nos Aflitos), fazer o nosso papel e ver o que as equipes da frente vão fazer. Recuperar nosso time é a primeira prioridade", afirmou o treinador do São Paulo.

A bola aérea voltou a atormentar a defesa, que sofreu mais um gol de cabeça e viu Kleber ajeitar pelo alto a bola que sacramentou a virada. Enquanto Ney Franco fala em treinar para corrigir os problemas, os próprios zagueiros já se mostram incomodados com o drama.

"Estávamos buscando o segundo gol e levamos. Precisamos ter mais atenção na marcação. Cada um marca o seu, quem marca tem que ficar esperto para não levar gol assim", criticou o zagueiro Rhodolfo, sem citar nomes, embora nos dois gols a bola tenha sido lançada nas costas de João Filipe. "Perdemos, não era para isso acontecer, mas vamos ver o que o professor faz para corrigir", disse o camisa 21.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.