Toto Wolff e Niki Lauda acertam renovação de contrato com a Mercedes até 2020

Principais lideres da Mercedes, Toto Wolff e Niki Lauda acertaram nesta segunda-feira a renovação contratual com a mais forte equipe da Fórmula 1 na atualidade. Dois dos responsáveis pelo sucesso da escuderia que dominou a categoria nas últimas três temporadas, tanto entre os pilotos quanto entre os construtores, eles assinaram novos vínculos até 2020.

Estadao Conteudo

20 Fevereiro 2017 | 13h50


"É uma grande notícia que o Toto e Niki renovaram seus acordos", celebrou o presidente e CEO da Daimler AG, grupo que controla a Mercedes, Dieter Zetsche. "Em 2013, reestruturamos a liderança da equipe com o objetivo de melhorar nosso desempenho. Desde então, no entanto, os resultados superaram nossa expectativa. Um fator chave para isso foi a combinação da habilidade empreendedora do Toto com a experiência do Niki."


Um dos mais talentosos pilotos da história da Fórmula 1, Niki Lauda conquistou três títulos da categoria, em 1975, 1977 e 1984. Ele chegou à Mercedes no fim de 2012 e desde 2013 ocupa o cargo de presidente não-executivo, além de deter 10% das ações da equipe.


"Os últimos anos foram alguns dos mais divertidos que já tive na Fórmula 1. Toto e eu formamos uma parceria perfeita na Mercedes e nós temos uma grande equipe em cada nível, o que nos entregou bons resultados. Eu preciso agradecer o Dieter e os outros membros da direção da Daimler AG por renovar a confiança em nós", comentou.


Já Wolff chegou à Mercedes em fevereiro de 2013 após quatro anos na Williams. Atual chefe da equipe, além de diretor esportivo, ele possui 30% das ações da escuderia. "Vencer nunca é algo individual, é sobre ter o grupo certo de pessoas trabalhando juntas, se alinhando com objetivos em comum e combinando seus talentos para atingi-los. Todo dia que venho para a fábrica, fico lisonjeado pelo privilégio de representar este grupo de pessoas", declarou.


Em 2014, 2015 e 2016, a Mercedes faturou o Mundial de Construtores e o de Pilotos (nos dois primeiros com Lewis Hamilton e depois com Nico Rosberg). Nesta pré-temporada, os dirigentes tiveram trabalho após a saída de Rosberg, que dará lugar a Valtteri Bottas na disputa de 2017.

Mais conteúdo sobre:
Fórmula 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.