Trabalho nos boxes tem feito a diferença

Qualquer décimo de segundo na pista está fazendo a diferença num campeonato como o deste ano. O mesmo se dá com a eficiência da equipe nos boxes. Fernando Alonso venceu em Monza, ontem, e voltou a ser candidato ao título por ter ultrapassado Jenson Button, da McLaren, na operação de pit stop, na 36.ª volta. "Foi incrível. De repente, o sinal ficou verde enquanto eu ainda engatava a primeira marcha", disse o espanhol.

Livio Oricchio, O Estado de S.Paulo

13 de setembro de 2010 | 00h00

A possibilidade de a Ferrari ganhar a corrida seria aquela, sair na frente do inglês, pois como Alonso reconheceu, não conseguiria ultrapassá-lo na pista.

Do instante em que entrou na área de box até a saída, Alonso precisou de 22 segundos e 154 milésimos. Na passagem anterior, Button fez tudo em 22 segundos e 955 milésimos. A diferença de 801 milésimos de segundo foi a principal razão, junto da boa volta de entrada nos boxes, de o piloto da Ferrari ter saído dos boxes em condições de ultrapassagem.

Já Felipe Massa lamentou o seu pit stop, na 38.ª volta. "Perdemos um pequeno tempo a mais na minha roda dianteira direita. Talvez desse também para sair dos boxes na frente de Button." Saiu imediatamente atrás. O tempo total de Massa foi de 22 segundos e 749 milésimos - ou 595 milésimos mais lento que Alonso e 206 milésimos mais veloz de Button.

Um campeonato se conquista com um grande piloto, um grande carro e uma grande equipe. Qualquer desses elementos que falte não resulta em título.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.