Traffic diz que proposta da Ucrânia seduziu Cleiton Xavier

Empresa explica que times ucranianos são os que pagam as maiores premiações do mundo e que o atleta tem 27 anos

, O Estado de S.Paulo

16 de julho de 2010 | 00h00

A Traffic tentou justificar ontem a saída repentina de Cleiton Xavier, que foi negociado com o futebol da Ucrânia e deixou o Palmeiras na véspera do clássico. A empresa, que há poucos dias cedeu Diego Souza para o Atlético-MG, afirma que a proposta do Metalist Kharkiv seduziu Cleiton Xavier.

"A negociação foi excelente para ele (Cleiton), que tem 27 anos, e terá a chance de fazer sua independência financeira. Os clubes ucranianos são os que pagam as maiores premiações no mundo", comunicou Frederico Pena, representante da Traffic, por meio de nota.

Pena reconhece que o time ucraniano tem pouca expressão, mas aponta vantagens para o jogador. "O futebol ucraniano está crescendo bastante, principalmente agora que abriu mais uma vaga na Liga dos Campeões para os clubes do país."

Cleiton Xavier chegou ao Palmeiras no início de 2009 e realizou 90 jogos pelo clube, com 16 gols marcados. Camisa 10 do time, não tem substituto à altura no elenco. Sua saída reforça a necessidade da vinda de Valdivia.

Com a perda de Cleiton Xavier, o Palmeiras tem agora apenas dois jogadores da Traffic no elenco: o atacante Lenny, que se recupera de grave lesão no joelho, e o zagueiro Danilo, de quem a empresa tem parte dos direitos. "É política do Palmeiras aumentar o número de jogadores que pertençam ao clube. A Traffic só fará colocações precisas", disse o presidente Luiz Gonzaga Belluzzo.

Punição mantida. O STJD manteve a punição ao palmeirense Danilo e a Manoel, do Atlético-PR, envolvidos em episódio de agressão e racismo na Copa do Brasil. Danilo ficará fora dos próximos nove jogos do Palmeiras no Brasileiro ? já cumpriu suspensão em duas das 11 partidas de suspensão que levou. / B.D.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.