Traficante é preso na porta do autódromo

A força policial que trabalhou no entorno de Interlagos durante o Grande Prêmio do Brasil teve muito trabalho nos dias do evento. Mais de 200 pessoas foram detidas entre sexta-feira e domingo. Ontem, a PM prendeu em flagrante um homem que portava ilegalmente uma pistola Taurus calibre 22, com a numeração raspada.Também flagrou um menor de idade com posse de sete papelotes de cocaína, uma pequena quantidade de maconha e alguns frascos de lança-perfume. ''''Ele estava tentando vender em um dos portões do autódromo'''', relatou o coronel Eduardo Felix, chefe da operação.O policiamento havia sido reforçado depois que três carros foram roubados em um arrastão realizado na tarde de sexta-feira. Um dos assaltos foi flagrado por fotógrafos. Dois menores de idade que promoveram o arrastão acabaram sendo presos no dia seguinte. O tio de um deles, que já era procurado pela polícia, foi detido no mesmo local, a Favela da Paz, do lado do autódromo. Ontem, 1.700 policiais militares trabalharam nos arredores de Interlagos, ajudados por policiais civis, guardas metropolitanos e agentes de fiscalização da prefeitura. Além das prisões por porte de arma e tráfico de drogas, os PMs detiveram dezenas de flanelinhas e cambistas, que faziam de tudo para driblar os policiais.O mesmo ocorreu com os ambulantes. As cenas de camelôs empacotando suas mercadorias e fugindo da fiscalização, tão comuns na região da Rua 25 de Março, no centro de São Paulo, foram vistas ontem na porta do autódromo.Os problemas de segurança em Interlagos se repetem todos os anos. Mas, na avaliação do coronel Felix, a Operação Interlagos 2007 foi um sucesso. ''''Foram poucas as ocorrências e sempre conseguimos prender os delinqüentes ou reaver os objetos que haviam sido roubados. Como policial, fiquei satisfeito com o resultado.''''

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.