Transnacional, futebol europeu simboliza a colonização cultural

Você percebe claramente que o caráter transnacional do futebol europeu extrapolou qualquer limite quando vê um garoto paulistano de 10 anos responder à pergunta "para que time você torce?" sem hesitar. "Barcelona".

Alec Duarte, O Estado de S.Paulo

29 de maio de 2011 | 00h00

Como ele há uma legião de pequenos fanáticos por Milans e Manchesters que talvez nunca tenham conhecido as delícias de apoiar um clube de futebol de suas cidades ou Estados. Houve um tempo em que os enlatados americanos (as séries, praga atual da TV paga, no meu tempo)eram considerados a prova cabal da colonização cultural do país tropical. Hoje, o futebol simboliza muito melhor a tal da colonização. A tecnologia permitiu a essa gurizada assistir, sem sair de casa, a todos os jogos do Arsenal, por exemplo.

Na minha vez, e olha que lá se vão décadas, transmissões ao vivo eram uma raridade. Futebol europeu, então, era uma coisa sobre a qual apenas se ouvia falar. Uma curiosidade.

Agora, esses esquadrões cada vez mais globalizados do Velho Continente ganham outro revestimento em 3-D num telão e, como trilha sonora, uma música que emula a ópera.

Positivamente, não dá pra resistir ao apelo de tantos efeitos especiais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.