Treinador despedido sai atirando. Contra Cuca

Muricy Ramalho despediu-se ontem de jogadores e funcionários do São Paulo e não perdeu a última chance de atacar alguém. Desta vez, o alvo foi o técnico do Flamengo, Cuca, acusado por Muricy de ter ligado para o presidente Juvenal Juvêncio oferecendo-se para trabalhar no São Paulo."Estamos numa situação difícil e o Cuca liga para o Juvenal para saber como ele está e pergunta se poderia pedir demissão do Flamengo??, afirmou Cuca à Radio Bandeirantes. "É demais, né? É uma falta de ética do caramba. Um absurdo.??Com o cargo ameaçado no Flamengo, Cuca negou a acusação e mostrou-se indignado. "Eu jamais teria esse tipo de atitude. Não é da minha índole, do meu caráter??, reagiu, por meio de nota oficial. Juvenal também negou o assédio de Cuca. Disse que contato com ex-treinadores do São Paulo é comum e que não fez consulta alguma a Cuca sobre a possibilidade de ele substituir Muricy.Antes de ir ao ataque contra Cuca, Muricy, em sua despedida, disse que, por alguns dias, vai descansar, se distrair e se adaptar a ficar longe do comando do clube de seu coração. "Quero agradecer pela oportunidade de ter voltado pra cá, porque era um objetivo meu quando eu saí daqui (começo de 1997) e essa diretoria me deu essa oportunidade de voltar, ganhar e entrar para a história do futebol brasileiro", disse o treinador, atual tricampeão do Campeonato Nacional. Ele reconheceu que não havia mais como continuar à frente do São Paulo. Muricy fez um mea-culpa com quem foi obrigado a conviver com ele durante esses últimos três anos e meio e, por vezes, teve de aguentar seu mau humor. "Quero pedir desculpas se eu ofendi alguém, porque, às vezes, eu passei um pouco da bola com alguns, mas é uma coisa natural."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.