Treinador do Egito critica Neymar e Mano endossa

Ramy diz que às vezes Neymar joga mais para se exibir do que para ajudar a equipe

Mateus Silva Martins, enviado especial, Cardiff, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2012 | 03h07

Mais uma vez Neymar terminou um jogo da seleção brasileira criticado. Desta vez, quem fez a crítica foi o técnico do Egito, Ramy Hanzy, que após a partida disse que o atacante é talentoso, mas às vezes parece que joga mais para se exibir do que para ajudar a equipe. Para o comandante do time africano, ele precisa jogar mais para o time. "É um jogador muito talentoso e, como é jovem ainda, pode melhorar bastante. Se ele jogar mais para seu time, será muito positivo", opinou Hanzy.

Apesar de não ter gostado de saber que o técnico do time adversário criticou seu jogador, Mano Menezes deu a entender que não ficou completamente satisfeito com o que Neymar fez ontem. Sem mencionar o nome do atacante, ele criticou o excesso de individualismo de alguns de seus atletas. "Se eu tiver de falar individualmente sobre algum jogador, vou fazer isso internamente", limitou-se a dizer ao ser perguntado sobre Neymar.

O craque do Santos, como era de se esperar, discordou do treinador do Egito. Ele limitou-se a dizer que sempre joga pelo time e que seu único objetivo é ajudar a seleção. "A gente deixou o time deles crescer muito no segundo tempo, mas o que eu levo desse jogo é a vitória."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.