''Treinei, me dediquei. Agora, é hora de fazer o máximo''

A oposto Joycinha, de 1,91 metro e 70 quilos, é o destaque do ataque da Unilever, o segundo melhor da competição

, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2010 | 00h00

No segundo melhor ataque da Superliga, é Joycinha quem brilha. A oposto de 25 anos é a melhor atacante da equipe, com 24,74% de eficiência. Números traduzidos com ataques precisos em momentos decisivos, como os que protagonizou nas semifinais diante do São Caetano.

"Na hora em que o time precisou, fui bem", diz a maior pontuadora dos dois últimos jogos, os que decretaram a vaga na final. Joycinha marcou 16 e 27 pontos, respectivamente, no 2.º e 3.º duelos. Tanta eficiência nem faz imaginar que a guarulhense, de 1,91 m e 70 kg, morria de medo de Bernardinho. "Eu ficava desesperada ao pensar trabalhar com ele. Achava: "Sou chorona, Se ele gritar comigo, não vou conseguir"." Mas, em 2008, a oposto deixou o Pinheiros rumo ao Rio. "Aí vi que criei um monstro que não existe. É claro que ele cobra. Briga, mas dá instrução. E sempre quer saber se estamos bem."

Adaptada a uma equipe em que não é a estrela - "ao contrário dos outros times em que joguei" - Joycinha divide responsabilidades. Sabe que em uma decisão em jogo único, não há espaço para erros. "Não acredito em sorte. Treinei, me dediquei. Agora é hora de fazer o máximo." E curtir o apoio da família e amigos, que estarão em peso no Ibirapuera.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.