Wilton Junior/AE
Wilton Junior/AE

Treino na praia atrai milhares de fãs

Copacabana parou ontem para ver o ensaio do campeão mundial Anderson Silva e outros lutadores

Bruno Lousada / RIO, O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2011 | 00h00

Assim que o lutador Anderson Silva entrou na arena montada na Praia de Copacabana, para fazer um leve treinamento, o público foi à loucura e o reverenciou. Parte dos fãs só não aceitou vê-lo pisar no ringue com a camisa do Corinthians, com quem fechou contrato recentemente. Aí a paixão clubística falou mais alto.

Com o Flamengo na cola do clube paulista, líder do atual Brasileiro, vários rubro-negros passaram a gritar "Mengo" e "Segunda Divisão", em referência à queda do time paulista no Nacional de 2007. Experiente, Anderson Silva encarou a provocação numa boa, sem nenhum estresse.

"Isso serve até como incentivo", disse, abrindo um largo sorriso, o grande nome do Brasil no MMA (artes marciais mistas, na sigla em inglês). Ele vai disputar no sábado o combate principal do UFC Rio, na Arena da Barra, contra o japonês Yushin Okami.

Para o lutador, vestir o uniforme do Corinthians é a realização de um sonho. Na adolescência, fez teste para ser lateral, mas não foi aprovado. Porém, no próprio clube, matriculou-se na escolinha de boxe e passou a tomar gosto pelas artes marciais.

"Espero que o MMA continue crescendo no mundo todo. Temos grandes atletas no Brasil e devemos continuar trabalhando para manter a hegemonia." Ele prevê muita pressão por lutar em casa, mas tenta manter-se tranquilo. Tem convicção de que uma derrota não vai apagar o que já fez na carreira.

"A torcida dá um gás a mais. Esse combate no Rio é como um jogo entre Brasil e Argentina." Apesar da fina chuva, cerca de 5 mil pessoas, segundo estimativa da organização do evento, assistiram ao treino aberto de Anderson Silva e também de seu desafiante, Yushin Okami.

"Muita gente diz que o Anderson Silva é o melhor do mundo, mas isto não me importa. Vou vencer e ser campeão", apostou Okami, esbanjando confiança. Além deles, os atletas da categoria meio pesado Maurício Rua e o americano Forrest Griffin, e os pesos pesados Minotauro Nogueira e Brendan Schaub, dos EUA, participaram da atividade.

Os lutadores estrangeiros se mostraram surpresos com a popularidade do esporte no Brasil. "Não esperava", admitiu Griffin.

A Prefeitura do Rio investiu R$ 950 mil na realização do UFC e comemorou a lotação dos hotéis na cidade neste fim de semana. A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH) informou que, na Barra da Tijuca (zona oeste), 96% dos quartos estão ocupados e, na zona sul, a média de ocupação é de 85%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.