Três times despontam como favoritos

Manchester United, City, Chelsea devem polarizar disputa pelo título. Arsenal, Tottenham e Liverpool correm por fora

GUILHERME DORINI, O Estado de S.Paulo

17 de agosto de 2013 | 02h09

Troca de técnicos, bons elencos mantidos e a movimentação dos clubes na janela de transferência indicam que o Campeonato Inglês, que começa hoje, terá uma das edições mais disputadas dos últimos anos. Além dos favoritos Manchester United, Manchester City e Chelsea, o Tottenham investiu pesado e deve dar trabalho aos grandes. Assim como Arsenal e Liverpool que, mesmo sem muitos gastos, podem surpreender.

Antes mesmo de começar a competição, uma coisa já é certa: esta edição será histórica. Pela primeira vez após 27 anos, o Manchester United jogará sem o comando de Sir Alex Ferguson. Sob nova direção, com David Moyes, a grande dúvida é saber como os atuais campeões se comportarão sem o ex-treinador. A equipe não fez nenhuma contratação badalada e aposta na base deixada por Ferguson. Enquanto não resolvem a situação de Rooney, que força a saída do clube, Van Persie será o responsável por liderar o time.

Após ter ficado longe da disputa do título na edição passada, o Chelsea aposta no retorno de José Mourinho para voltar a brilhar. O português terá nas mãos a base mantida por Benítez e jovens promissores. Oscar, Hazard e Mata ganham a companhia de Lukaku, Schürrle e De Bruyne, o que deve fazer o Chelsea brigar por todos os títulos que disputará. Em entrevista ao Estado, Oscar afirma que os novos reforços não ameaçam sua titularidade. "Já existiam vários jogadores bons na minha posição, é uma briga sadia e quem estiver melhor tem de jogar. Quero manter meu lugar no time titular."

Com uma proposta de um novo estilo de jogo, o Manchester City aposta em reforços caros e em um novo técnico para superar os rivais. Agora comandado pelo espanhol Manuel Pellegrini, os atuais vice-campeões abriram os cofres e gastaram cerca de R$ 318 milhões para trazer Fernandinho, Navas, Negredo e Jovetic, e fazer do City um dos elencos dos mais fortes do país.

Correm por fora. O Liverpool, um gigante adormecido nos últimos anos, demonstrou sinais de reação no final do campeonato passado. Apesar de jogar apenas 13 vezes, Philippe Coutinho mostrou um ótimo entrosamento e deu outra cara para a equipe. Na melhor fase da carreira, o brasileiro crê em uma competição acirrada, coloca a equipe na disputa e explica seu bom desempenho. "Jogamos com toque de bola rápido e muita velocidade do meio para frente, isso me ajuda muito. O Liverpool está forte e nosso pensamento é sempre de buscar o título".

Outra equipe que corre por fora é o Tottenham. O clube londrino investiu pesado na contratação de novos jogadores e deve dar trabalho aos grandes da Inglaterra. As maiores expectativas ficam para a estreia oficial de Paulinho e o fim da novela envolvendo Gareth Bale, assediado pelo Real Madrid, e que não sabe se fica ou deixa o time.

Há oito anos sem um troféu, o Arsenal virou coadjuvante na Inglaterra. A esperança continua nas atuações de Giroud e Podolski. O clube deve apenas brigar por uma vaga na Copa dos Campeões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.