Neto, jfneto@estadao.com.br, O Estadao de S.Paulo

24 de março de 2008 | 00h00

Caros colegas, o duelo entre São Paulo e Guarani não foi lá essas coisas. Era o confronto de dois times tecnicamente muito distintos: um São Paulo forte e buscando uma classificação para as semifinais do Paulista e um Guarani fraco e lutando contra o rebaixamento. O jogo em si começou sonolento. Mesmo com os dois atacantes, Aloísio e Dagoberto, atuando muito mal, o técnico Muricy Ramalho demorou para colocar Borges em campo. E quando finalmente fez a substituição, não deu outra. O artilheiro da equipe deixou sua marca com um chute preciso. Para falar a verdade, analiso o Borges como o melhor atacante do atual elenco tricolor. Agora o São Paulo tem tudo para conseguir uma vaga no G-4, principalmente porque não tem confrontos contra adversários diretos.* * * * *Quem pagou o pato nessa história foi o Guarani, time onde comecei minha carreira e tenho um carinho especial. Os bugrinos mais uma vez não passaram do batido ''pega-pega'' do Jair Picerni na beirada do campo. O triste é ver que o Guarani vai lutar mais uma vez para não cair de divisão, história freqüente na vida do clube nas últimas temporadas. Já a rival Ponte Preta ri à toa. Venceu o Sertãozinho fora de casa e é a atual terceira colocada no Paulistão. Motivos para meu sogro Didi, ponte-pretano fanático, soltar rojões e tirar um sarro da minha cara todo dia. Coisas do futebol!* * * * *Enquanto boa parte das pessoas dava moral para outros atacantes, o Dentinho veio comendo pelas beiradas e aos poucos foi conquistando um espaço no coração da torcida. Contra o Rio Claro, a equipe alvinegra não mostrou nenhum brilhantismo, mas venceu novamente às custas de um garoto humilde, corintiano e, que, na maioria das vezes, surge para salvar a pele dos medalhões. Aposto no Dentinho todas as minhas fichas! Pelo que vejo, esse menino vai longe.* * * * *O Palmeiras fez uma partida extremamente tática e objetiva no sábado, contra o Paulista. A construção do placar foi feita logo no início do jogo, com dois belos gols. O segundo, marcado pelo Valdivia, para mim foi um dos mais bonitos do campeonato até aqui. Um passe perfeito do Alex Mineiro, que, por sinal, já tinha feito um belo gol, e uma conclusão genial desse chileno, que, na minha opinião, vem sendo o grande destaque do torneio. Além dele, o Verdão tem um volante muito bom, que tem comprometimento com o clube, que é o Pierre. Esses bons resultados seqüenciais são frutos do excelente trabalho da diretoria e do técnico Vanderlei Luxemburgo. Se o Palmeiras se classificar, e acho que isso vai acontecer, será difícil barrá-lo na direção do título.* * * * *Falando um pouquinho do Campeonato Italiano, que tenho a honra de comentar na TV Bandeirantes ao lado do meu amigo Téo José, o Milan está necessitando urgentemente rejuvenescer o elenco. A idade avançada de boa parte dos jogadores tem prejudicado o desempenho do time nessa temporada. É bem capaz que nem consiga se classificar para a Liga dos Campeões do ano que vem. Um Alexandre Pato, com 18, e um Kaká, com 25, não têm como resolver o problema de uma equipe onde a média de idade chega a quase 32 anos. Há momentos dentro de campo que a agilidade e rapidez de raciocínio de um garoto fazem a diferença. COLABOROU RENATO NALESSO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.