Tricolor quer sufocar o Penapolense

Para evitar uma surpresa no Morumbi, o time vai repetir a marcação por pressão que usou com sucesso contra o Atlético-MG

PAULO FAVERO, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2013 | 02h02

Dono da melhor campanha da primeira fase do Paulista, o São Paulo vai enfrentar hoje o azarão Penapolense no Morumbi, às 18h30, e o técnico Ney Franco não quer nem falar sobre a possibilidade de uma surpresa. Ciente de que o time do interior, o caçula da elite estadual, disputará o principal jogo de sua história, ele pede concentração total aos seus jogadores. "Camisa não ganha jogo. Sabemos que temos mais tradição, só que podemos ser surpreendidos e não queremos isso."

Ney já esteve do outro lado quando treinou o Ipatinga na decisão do Campeonato Mineiro de 2005. Na ocasião, fez sua equipe derrotar o favorito Cruzeiro e obter a conquista mais expressiva do clube até hoje. "A gente sabe que é uma oportunidade de todo mundo do outro time aparecer mais em um confronto como este. Também vemos o bom trabalho realizado pelo Pintado até agora."

Como as quartas de final são disputadas em jogo único - e o empate leva a decisão para os pênaltis -, qualquer erro pode ser fatal. Por isso, o São Paulo ensaiou durante a semana a mesma marcação por pressão que fez diante do Atlético-MG no confronto pela Libertadores, disputado há dez dias. "Esse tipo de marcação foi nosso princípio básico contra o Atlético e queremos repetir a estratégia de jogo", disse Ney.

O aproveitamento do treinador em partidas de mata-mata é bastante alto. Desde que chegou ao São Paulo, foram 12 partidas desse tipo, com seis vitórias, cinco empates e apenas uma derrota. "Eu gosto de mata-mata, é legal, você fica o tempo todo com adrenalina. Já passamos por vários jogos decisivos e o próximo é este contra o Penapolense. Temos de entrar com força e nos classificar."

O São Paulo não poderá contar com o meia Maicon, que ainda se recupera de um estiramento na coxa esquerda e voltou a treinar no gramado apenas na sexta-feira, o volante Fabrício, que tem uma lesão no tornozelo direito, e o zagueiro Rhodolfo, que cumprirá suspensão.

O treinador garante que Rogério Ceni está pronto para liderar a equipe rumo à classificação, após ter sido poupado do último jogo por causa de dores no pé esquerdo. "Ele está bem e recuperado. No treinamento que a gente fez, o Rogério bateu tiro de meta e praticamos a saída de bola com ele. Está 100% para a partida."

Sem descanso. Ney já avisou que não pretende poupar mais ninguém nos próximos oito jogos, caso o São Paulo alcance a final do Paulistão e as quartas de final da Libertadores.

"Seriam oito partidas em um mês e não temos de preservar ninguém. Quando falava que estávamos usando o Campeonato Paulista para fazer isso, muita gente não entendia."

Ele agora festeja o fato de todos os seus atletas estarem com ritmo de jogo, dando a entender que o planejamento para a temporada deu certo até o momento. E espera que o time se classifique em um Morumbi que estará com todas as suas cadeiras pintadas de vermelho. Por causa disso, o time entrará em campo com uma camisa especial, dessa cor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.