Trio de ataque leva Palmeiras a golear

Com Kleber inspirado, Dinei e Luan, time joga bem e vence Ituano por 4 a 1, na 1.ª partida sob a gestão de Arnaldo Tirone

Daniel Akstein Batista, O Estado de S.Paulo

21 de janeiro de 2011 | 00h00

O Palmeiras mudou de diretoria e de postura em campo. Após fraco futebol e empate sem gols na primeira rodada, contra o Botafogo, a equipe mostrou ontem uma nova atitude. O resultado foi justo: 4 a 1 sobre o Ituano, em Piracicaba.

Felipão resolveu mudar a equipe e, além de dar uma chance ao estreante Cicinho pela direita, apostou na ofensividade, com três atacantes. Na frente, o time melhorou, e muito - o problema continua sendo no sistema defensivo, principalmente pela esquerda. Kleber, autor de dois gols, gostou da formação ofensiva. "São jogadores de frente que encostam, dá para tabelar e criar as chances de gol", comemorou

Arnaldo Tirone, o novo presidente do clube, havia prometido ir a Piracicaba, mas coube apenas a Roberto Frizzo, o 1.º vice, o papel de acompanhar a equipe in loco. A nova diretoria vai analisar o grupo no Estadual já pensando em mudanças. Se for bem, as coisas devem continuar as mesmas. Se for mal, muitos atletas vão sair.

Cicinho aproveitou bem a sua chance. O lateral-direito, ex-Santo André, deve assumir de vez a posição de Vítor, que não conseguiu mostrar no Palmeiras o mesmo futebol que lhe rendeu destaque no Goiás. O reforço, que também fez papel de meia em algumas ocasiões, foi derrubado na área por Jean Pablo. Kleber fez 1 a 0 aos 27 minutos. "Para mim foi excelente. Estreia melhor não podia ser", disse Cicinho.

Com a formação ofensiva, o Palmeiras deu vários espaços para o adversário atacar. O maior perigo era justamente pelo lado esquerdo alviverde. Rivaldo segue como o ponto fraco da equipe. Quando sobe para apoiar, vai mal. E, quando fica, não consegue marcar. Foi pelo seu lado que o Ituano chegou ao empate. Cruzamento de Malaquias e arremate de Wilton, aos 44 minutos.

O Palmeiras mostrou ontem algo que há muito não se via: garra, raça e vontade. Apesar de alguns problemas atrás, o time se superou. Pode-se dizer que o adversário também não fez por merecer ao menos o empate, mas a formação ofensiva alviverde funcionou bem.

A velocidade de Luan pela esquerda foi fundamental para o Palmeiras construir a vitória no segundo tempo. Aos 8 minutos, ele cruzou para Dinei, sozinho, anotar o segundo. Aos 15, num lance parecido, o mesmo cruzamento na área, desta vez para Kleber balançar as redes. E, aos 44, passe para Tinga marcar. "Estou satisfeito", disse Felipão. "A parte física melhorou 30%, tivemos mais velocidade e não fomos tão burocráticos como contra o Botafogo", analisou.

Ao ser substituído por Vítor, Cicinho recebeu os primeiros aplausos da torcida. Mesma torcida que vaiou muito a equipe no ano passado e agora espera que o apresentado ontem se repita mais vezes. Sua esperança é que o time ainda está em formação e pode melhorar. Valdivia não atuou em 2011 e deve voltar na 4ª ou 5ª rodada. Lincoln, desfalque ontem, deve estar à disposição para o jogo de domingo, contra o Oeste, fora de casa. Adriano Michael Jackson ainda não está com a documentação regularizada e o também atacante Max Pardalzinho, ex-Vila Nova, foi anunciado ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.