Trio de estrelas do Colts entra confiante no Super Bowl

O trio de estrelas do Indianápolis Colts, o quarterback Peyton Manning, o kicker Adam Vinatieri e o técnico Tony Dungy, respeita muito seus rivais do Super Bowl XLI, o Chicago Bears, mas está confiante no título. Os dois times se encontrarão no Dolphin Stadium, em Miami, para a final da NFL, no próximo domingo às 21h30 (de Brasília). O conjunto de Indianápolis chega ao grande dia pela primeira vez. A franquia, quando era sediada em Baltimore, conseguiu chegar à decisão do título duas vezes (ganhou uma e perdeu outra). Já o time de Chicago volta após 21 anos, quando foi campeão em sua única disputa da finalíssima. "Estou pronto para fazer minha parte", afirmou Manning, que acrescentou: "mas tudo não depende só de mim, isso é um trabalho de equipe". O quarterback é o jogador mais experiente do Colts e um dos melhores da liga em sua posição. Aliás, Manning é o único da história da NFL com 3 mil jardas de passes completos em cada uma de suas oito temporadas. "Dizer que temos tudo para faturar o Super Bowl não soa bem, o Bears tem 15 vitórias até agora na temporada e é uma equipe que tem uma excelente defesa", falou Manning."Precisamos trabalhar mais algumas coisas nos treinamentos, mas apesar da qualidade do adversário, estamos confiantes na vitória", afirmou o técnico Tony Dungy. "A equipe está muito bem e muito otimista. E além disso contamos com um quarterback que faz a diferença."O treinador do Colts também elogiou a cidade de Miami, uma cidade que fanática por futebol americano e que mostrou isso muito bem em 1999, quando organizou o Super Bowl XXXIII, quando o Denver Broncos bateu o Atlanta Falcons por 34 a 19. "Uma coisa muito boa é que não fará o frio que faz em outros estados do país. Sem dúvida eu não acho que teria um melhor lugar para se fazer essa final", explicou Dungy.Adam Vinatieri, kicker que vem salvando o Colts em momentos decisivos, acha que essa é a sua hora. "Estou muito focado na partida. Esse é o grande momento de mostrar o nosso valor."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.