Trio divide favoritismo na Austrália

Raikkonen, o atual campeão, Hamilton e Massa iniciam a temporada como candidatos ao título

Livio Oricchio, O Estadao de S.Paulo

15 de março de 2008 | 00h00

Kimi Raikkonen, o atual campeão, ou Lewis Hamilton, o fenômeno que no ano passado deixou o título escapar por entre os dedos? Quem vai levar a melhor na temporada de 2008, a 59ª da história da Fórmula 1? A resposta começa a ser dada a partir da madrugada de amanhã (1h30, pelo horário de Brasília), no GP da Austrália. O finlandês da Ferrari é considerado favorito não somente à vitória ao fim das 58 voltas pelos 5.303 metros do circuito Albert Park, em Melbourne, mas também ao título. Mas o inglês da McLaren não pode ser desprezado. Nem o brasileiro Felipe Massa, da Ferrari, este ano não tão badalado como no campeonato passado.O bicampeão Fernando Alonso, que em 2007 brigou pelo tri até a última corrida, no Brasil, desta vez não pode ser listado entre os favoritos. Nem o imenso talento do espanhol será suficiente para levar a Renault, equipe para onde voltou, a duelar em igualdade de condições com Ferrari e McLaren.Este ano, o Brasil volta a ter três pilotos na F-1. Nelsinho Piquet estréia pela Renault e junta-se a Massa e ao veterano Rubens Barrichello, da Honda.O desafio dos 22 pilotos que largam amanhã no Albert Park ficou ainda maior com o calor intenso esperado para a hora da saída, às 15h30 de Melbourne: 38 graus C, se a previsão do tempo acertar. ''É um problema para os pneus, sem dúvida, notadamente os de compostos mais moles'', comentou Lewis Hamilton. A tendência é de duas paradas para troca.A expectativa com a corrida é grande também porque será a primeira sem o sistema automático de largada e o controle de tração, dentre outros recursos agora proibidos. ''Não muda o nosso estilo de pilotar, mas exige cuidado maior para não errar, agora mais fácil, e economizar o consumo de pneus'', explica Alonso. ''Em condições normais, posso sonhar apenas em somar pontos'', avisa.Raikkonen tem ambição diferente. Dominou a pré-temporada - e ontem, nos treinos livres, simulando condições de corrida, confirmou o que dele se espera: ficou em primeiro. ''Dedicamos semanas de esforços para, no fundo, ganharmos as corridas, somarmos pontos, que é o que conta'', admitiu. ''Mas precisamos melhorar o carro para a corrida.''Massa já viu que Raikkonen será adversário dos mais difíceis para superar. ''Não vou para a corrida pensando em batê-lo, mas em ficar na frente dos outros 21 pilotos também'', avisou. ''Estou aqui para ganhar a prova e o campeonato.''Nelsinho Piquet, evidentemente, tem planos mais modestos: ''Meu objetivo é chegar ao fim da corrida. Manter um ritmo forte, lógico, mas principalmente visar a receber a bandeirada.''Rubens Barrichello está perto de tornar-se o piloto de maior longevidade da história. Amanhã, será sua corrida de número 253; o recorde é de Riccardo Patrese, com 256. ''Nosso plano é levar a Honda à condição de brigar pelas vitórias, o que acredito ser possível já em 2009'', disse Rubinho. ''Aqui dá para pensar em somar pontos.''Mais sobre a F-1 na p. E2

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.